Frank Dillane, que interpreta Nick Clark na série Fear the Walking Dead, fala sobre a nova moradia de Nick em Colônia, sobre conhecer Luciana e sobre como se cobrir de sangue o faz ficar no personagem.

O episódio 8 é sobre o Nick. Você descobriu algo novo sobre o personagem depois de filmar um episódio inteiro focado nele e em suas decisões?

Frank Dillane: Descobri detalhes de como o pai dele morreu. Eu não sabia exatamente o que havia acontecido. Já haviam pistas, mas eu não sabia que Nick estava na reabilitação na época. O momento em que aconteceu não foi oportuno em termos da recuperação de Nick de seu vício em heroína. Acho que foi meio que uma surpresa – quão rápido tudo aconteceu – e ver [a namorada dele] Gloria e todas aquelas coisas foi novo e interessante para mim.

Enquanto Nick vaga pelo México, você acha que ele se arrepende de ter deixado sua família para trás? Alguma ideia do porquê dele ter feito isso?

Frank Dillane: Acho que não havia nada para ele naquele triângulo familiar. Talvez ele estivesse pronto para partir. Não sei ao certo, mas acho que ele não se arrepende – certamente que não. Ele não é o tipo de garoto que fica ao lado da mãe o dia todo. Ele tem seus olhos voltados para outras coisas. Acho que qualquer jovem homem que fica só acaba aprendendo a se cuidar. Todo jovem homem precisa aprender a se cuidar – ou jovem mulher. É assim que a vida é.

Você acha que ele viu uma ideia de comunidade na vila de Colônia com Luciana?

Frank Dillane: Sim, ele viu com certeza. O personagem da Luciana é pesado e ela com certeza cabe num apocalipse. Nick certamente achou um lugar seguro para ficar por um tempo – mas é o apocalipse zumbi, obviamente! Acho que nós todos sabemos o que acontece com lugares seguros. [Risos] Danay Garcia é uma atriz fantástica e ela é incrível. Espero que possamos continuar explorando.

Esse novo mundo com certeza fornece um estranho conforto a Nick. Por que você acha que isso acontece?

Frank Dillane: Ele vê mais honestidade, provavelmente. Somos todos animais, no fim das contas. Estamos usando nossos instintos e tivemos uma lavagem cerebral que nos faz pensar que fazemos outras coisas além de f-der, lutar e dormir. Acho que Nick tem sido honesto com seus demônios e anseios… Nós estamos todos sobrevivendo e Nick tem sobrevivido por um bom tempo.

É o Nick que descobre que pode andar entre os infectados quando se cobre de sangue. Como é filmar as cenas com os zumbis? Como você se sente coberto daquela forma num cenário daquele?

Frank Dillane: O sangue é bem grudento e horrível, então isso meio que torna meu dia miserável. [Risos] Eu sempre ficava um pouco surpreso quando pegava mais um roteiro novo e via que Nick ainda estava coberto de sangue. Não foi ótimo, mas foi uma boa escolha de cena… é como fumar um cigarro durante uma cena. Se você está fumando um cigarro em cena ela fica automaticamente boa porque você parece descolado de alguma forma… ou com um palito na boca. Essas coisas são boas para atores… [Risos]

Nick fala que os infectados são “mais seguros que homens armados” e que ele quer estar onde os mortos não são “monstros”. Como ele vê os infectados?

Frank Dillane: Acho que isso tem a ver com o fato de que os zumbis não podem mentir, são estúpidos e dóceis. Você sabe como se portar diante de um zumbi. Com os humanos é mais complicado.

Nick e Alicia conversaram antes sobre as vantagens não reconhecidas do apocalipse, com Nick citando a falta de aviões e de poluição. Você consegue pensar em outras?

Frank Dillane: Uma boa vantagem não reconhecida? Bem, seria mais fácil de achar uma namorada ou namorado, não é? Talvez seja. Tem mais solteiros no apocalipse! [Risos]

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Fonte: AMC


Comentários