Karen Bethzabe, que interpreta Elena em Fear the Walking Dead, fala sobre como foi levar os Infectados até o píer e como ela se acostumou com seu machado.

O que você achou interessante em Elena?

Karen Bethzabe: O que mais me chamou a atenção foi o tipo de mulher que Elena é. Ela cresce numa indústria hoteleira de uma cidade pequena, onde há classismo e pouquíssima educação. Nada a segura. Uma mulher com poder no México – é preciso muito trabalho para chegar lá – então eu estava muito atraída pelo fato de ela ser uma mulher forte e como ela lidaria com tudo quando desabasse.

No episódio 10, vemos Elena trancando os convidados dentro do salão de festas do hotel, para conter a doença. Quais foram suas impressões quando você leu isso no script?

Karen Bethzabe: Como ser humano, eu fiquei chocada! E, como atriz, fiquei animada [risos]. Estes são os tipos de personagens que amamos – personagens complexos. Em um momento, ela está servindo estas pessoas e os ajudando a se divertir. Ela passa sua vida tentando convidar as pessoas para o seu hotel, e quando o apocalipse acontece, ela os tranca numa sala para serem comidas pelos Infectados. Para mim, quando li isso, eu pensei “O que me faria tomar essa decisão? Por que eu faria uma coisa dessas?”. Como atriz, eu sempre gosto de pensar que o personagem não é tão distinto de mim e eu tento encontrar conexões. Em última análise, acho que se tratou de sacrificar uns poucos para salvar muitos… É triste e trágico, mas num contexto amplo você espera salvar o máximo. Neste caso, Elena não salvou.

A noção de certo e errado certamente está mudando…

Karen Bethzabe: No mundo em que vivemos agora, podemos ser tão seletivos e temos tantas escolhas, mas no mundo do apocalipse, você volta ao básico. Você quer estar vivo, você quer ter algum tipo de família, você quer ter comida e algum abrigo. E é isso. Isso é o básico – e nem sempre temos escolha. Você se vê confrontado com situações e você deve tomar uma decisão imediata.

Você ficou surpresa com o fato de Elena e os convidados do casamento terem unido forças no episódio 11 para limpar o hotel, considerando as ações dela? Nesse mundo, você deve esquecer as mágoas?

Karen Bethzabe: Você precisa, porque, caso contrário, você está morto. É esquisito e estranho na mesa de jantar porque Elena está sentada com as pessoas que ela trancou e agora eles estão ajudando uns aos outros para que possam comer. [risos]

Quanto tempo levou para gravar a cena na qual você leva os Infectados para o píer?

Karen Bethzabe: Demorou algo em torno de três dias para orquestrar a coisa toda. Todos os agradecimentos à diretora, porque ela orquestrou isso de tal forma que acontecesse bastante rápido e ela sabia o que queria. Para os outros personagens havia coisas mais desafiadoras, como para Alicia, Madison e Hector, que estavam na água. Eu não estava nessas cenas – eu podia assisti-los como fã – mas foi tudo muito complexo. Foi quase como uma dança. Foi definitivamente uma coisa muito legal de assistir e muito legal de fazer parte.

Madison fala a favor de Elena bastante rápido depois que elas se conhecem… Isso é algo esperto a se fazer?

Karen Bethzabe: Novamente, Elena não tem escolha. Ela não tem a chave do hotel, eles não têm comida ou energia elétrica, e ainda há Infectados. Madison é a única pessoa contra quem ninguém tem acusações. Os convidados não a conhecem ou a odeiam, e Elena não tem nada contra ela. Então, Madison é a melhor pessoa para tomar a frente e consertar as coisas.

Aquele machado que você balançava pelo set era de mentira? Você teve que praticar para fazer parecer real?

Karen Bethzabe: Eles me deram um machado de verdade na minha primeira cena, mas isso durou apenas dois takes, porque era muito pesado e perigoso, e eu iria acabar arrancando a cabeça de alguém ou me machucando. Eu estou feliz de acabar usando um de mentira, assim eu não precisei acabar na prisão. [risos] Eles me treinaram para fingir que estava pesado. Então, eu segurava o de verdade entre os takes para me acostumar com ele em ambientes seguros, e então eu voltava à cena com o de mentira. Eu fiquei bastante animada quando soube que minha arma seria um machado. Foi a coisa mais legal de todas!

Um hotel lhe parece um lugar seguro para se estar durante um apocalipse?

Karen Bethzabe: Por um momento, pode ser. É um hotel grande, você pode ver o que está chegando e é quase como aqueles castelos do passado. Mas na verdade, nesse mundo, você precisa continuar em movimento. Você vai encontrar um lugar e se acomodar por um tempo, mas você deve ser capaz de abrir mão dele. Eu acho que essa é uma das coisas mais difíceis para Elena, porque essa tem sido sua casa. Ela precisa estar pronta para abrir mão disso.

Qual é sua dica número um referente a sobrevivência?

Karen Bethzabe: Siga seus instintos. Sempre siga seus instintos quando precisar fazer uma decisão e ela será uma boa decisão.

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Fonte: AMC


Comentários