Kim Dickens, que interpreta Madison Clark em Fear the Walking Dead, falou sobre navegar durante o apocalipse e sobre Madison enfrentar Strand.

A segunda temporada foi filmada em um estúdio flutuante e apresentou cenas debaixo d’água. Como foi tudo isso?

Kim Dickens: Foi ótimo de verdade. Foi uma grande surpresa. Acho que todos nós da primeira temporada jamais imaginaríamos isso. Eu estava sentada no barco com Alycia Debnam-Carey, que interpreta Alicia, e ela disse, “Você alguma vez pensou quando a gente estava naquele ’92 Camry no episódio piloto que chegaríamos num iate?” [Risos] Nenhum de nós esperavamos chegar na água e não tínhamos ideia de onde a história nos levaria… Ir para o Baja Studios com o tanque de água externo foi um desafio grande. O clima é super importante quando você está lidando com o oceano e tinha toda uma equipe de segurança envolvida. Tudo ficou melhor, eu acho, porque tudo ficou muito realista. Foi empolgante fazer uma série tão diferente.

Todos pensam que um barco é uma opção segura durante um apocalipse. Depois de filmar essa temporada, o que você acha disso?

Kim Dickens: Bem, acho que os desafios estarão onde quer que você vá. Nós ficamos sabendo que nossos personagens não são os únicos que vão direto para a água depois que Los Angeles incendeia. Esse é seu primeiro instinto, mas você não é o único a pensar assim. Nós acabamos chegando num belo barco graças ao Strand, mas descobrimos que outras pessoas desejam aquilo também, e tudo acaba girando em torno de navegar para onde você acha que possa ser seguro.

Como foi filmar no iate de Strand, o Abigail, afinal? Tiveram problemas para fazer parecer que vocês estavam se movendo de verdade?

Kim Dickens: Tinha um tanque de dois acres cheio de água do mar que se estende ao horizonte. Isso nos impediu de termos contato com o movimento real. Você tem que mover o barco de alguns ângulos e mover um pouco de água ao redor dele, mas quando estávamos fazendo nossos takes internos, vários deles foram na parte inferior do barco. Eles foram construídos no cenário, e tivemos que usar uma máquina de cardan para movê-los um pouco como se a água estivessem os movimentando. Você se acostuma. É muito melhor do que estar no oceano de verdade. Ninguém quer ficar enjoado depois de um longo dia de filmagens. [Risos]

Christopher e Nick acabaram com nossas esperanças de que os mortos não podem nadar quando eles lutam contra aqueles infectados no primeiro episódio?

Kim Dickens: Existem pessoas na água que viram e existem as pessoas que entram no oceano e depois viram. Eles não necessariamente afundam. Eles não sabem como nadar, mas eles ainda se movem. É como se eles boiassem e andassem nas águas. É bem assustador e eles se tornam bem mais violentos com o sol e com a água salgada. Eles são bem assustadores.

Madison quer ajudar alguns sobreviventes que ela vê ao mar, mas Strand diz que ele já usou sua cota de misericórdia. O Strand detém o poder do grupo?

Kim Dickens: Nós com certeza estamos sob a custódia de Strand uma vez que ele ofereceu passagens em seu barco. Ele meio que toma as decisões, mas nós não sabemos de verdade quem ele é. Não sabemos se ele é um sociopata ou não. Acho que Madison vai bater de frente com ele algumas vezes, mas ainda assim ficará presa nessa relação porque ele supriu o barco. Ela não tem nada de mais… acho que há uma parte dela que subestima ele e outra parte que vai se opor a ele.

Madison fala a Christopher que se não tivesse sido Travis ela que teria matado Liza. No mundo apocalíptico, esse é um sinal de amor para alguém?

Kim Dickens: [Risos] Acho que sim! Digo, quem saberia que isso se tornaria uma prova de amor? É necessário um aspecto superhumano para se chegar à isso. No caso de Travis, é a prova de amor definitiva para seu filho e para Liza. Acho que Madison com certeza teria o feito.

Temporada passada você mencionou que você duraria mais ou menos seis horas e meia durante o apocalipse na vida real. Isso mudou por acaso?

Kim Dickens: Talvez algumas horas a mais…

Todo minuto conta!

Kim Dickens: Sim, talvez 10 horas. Não é para idiotas! Eu não sou tão forte ou durona como Madison.

Qual a maior lição que você aprendeu sobre o apocalipse nessa temporada?

Kim Dickens: Esteja em forma. Você vai ter que correr bastante, pular, gritar e lutar.

Qual a maior diferença entre a primeira e a segunda temporada, na sua opinião?

Kim Dickens: Acho que você encontra nossos personagens no mesmo lugar onde eles acabam em termos de desafios e motivações. Não há um grande salto temporal, mas nossa situação muda drasticamente. Tudo pega fogo de verdade, nós vamos para a água e é um ambiente completamente diferente. Abram suas mentes. É uma janela diferente para o apocalipse.

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Fonte: AMC


Comentários

  • Revelacoes Apocalipse

    Qual é esta janela diferente para o Apocalipse?