Mercedes Mason, que interpreta Ofelia Salazar em Fear the Walking Dead, fala sobre relevar o passado de Ofelia e em direção a que sua personagem está correndo… ou do que está fugindo.

Quando falamos com você a primeira vez, você brincou sobre Ofelia ser a primeira a morrer. Você está surpresa de ela ter chegado tão longe?

Mercedes Mason: [Risos] Eu acho que num estranho rodopio do destino ela desenvolveu aquela força ao perder seus pais. Ela estava tão determinada a se manter uma boa garota, e se manter respeitosa em relação aos pais que ela não se defendia realmente e agora que não ter mais a quem responder, eu acho que deu a ela um estranho senso de confiança. Ela não tem mais nada a perder. E quando você não tem mais nada a perder, você pode “dar a louca”, ir a toda velocidade. Eu amo que estejamos entrando nesse momento em que mulheres são vistas como guerreiras e super heroínas. Temos Mulher Maravilha por aí e não precisamos mais depender apenas dos super heróis masculinos. Eu amo a ideia dessa nova versão de Ofelia saindo de um rato e se tornando uma leoa. Eu acho que será um arco muito legal pra ela.

Fale um pouco sobre as cenas de flashback no episódio 12, quando descobrimos que Ofelia já tinha sido noiva antes do apocalipse. O que mais você aprendeu sobra sua história passada? Algo disso te deu informações sobre como interpretá-la no presente?

Mercedes Mason: 100%. Ela é, absolutamente, filha de seu pai e filha de sua mãe. Ela tem a moral e doçura de Griselda, mas ela tem aquele aspecto bruto de Daniel. Inicialmente, quando eu a conheci, eu pensei “Oh, Deus. Essa menina vai desaparecer”, e então eu comecei a ver esses pequenos flashes de seu passado. Ela é uma mulher própria! Ela assume esse papel de menininha pelo bem de seus pais, porque eu acho que ela sabe o quanto se sacrificaram para dar a ela a vida que ela tem. Ela queria manter esse respeito, que eu acho que muitas crianças imigrantes querem. Você vem pra América e você tem essa nova cultura, sobre a qual você está muito animado e quer se integrar nela, e mesmo assim você não quer desrespeitar seus pais, que são muito das antigas. Você se equilibra nesta fina linha de manter o respeito por eles enquanto ainda quer abrir as asas. Eu acho que a vemos abrir as asas secretamente.

Ela também parece ter escolhido seus pais ao invés do amor. Ela se arrepende disso agora?

Mercedes Mason: Eu acho que é um de seus maiores arrependimentos e é algo que a assombra. Você vê no episódio 12 que ela se aventura sozinha para ver o que podia encontrar. Eu acho que ou ela quer colocar um fim naquele capítulo de sua vida ou ver o que ela pode descobrir sobre ela mesma para não ser assombrada por esse conceito. Eu entendo por que ela fez o que fez, no entanto. Seus pais são seus pais, e amor vai e vem. Há sempre mais peixes no oceano [risos]. Isso soa muito “não romântico”, mas seus pais são seu tudo. Você quer ser visto como respeitosa aos olhos deles e naquele momento ela ainda não sabia como encará-los ainda. Seu maior arrependimento foi ela não pensar “Eu encontrei um bom homem e não há nada de errado nisso.” Ela teve que viver uma mentira e ela devia ter tido mais fé de que seus pais aceitariam.

Quando ela aperta seu rosário e diz que agora “entende”, o que ela entende?

Mercedes Mason: Eu acho que ela está dizendo que ela entende todos os sacrifícios que os pais dela fizeram por ela. Eu acho que a razão de eles serem tão ríspidos e tentarem mantê-la segura é porque eles estavam protegendo-a do mundo. Quando ela tem aqueles flashback e ela vê o que o mundo se tornou, ela finalmente entende o que o amor deles significava. Não era uma forma estranha de punição, na qual eles não deixariam sua filha sair de casa; era tudo por ela. Tudo o que eles fizeram foi por ela. Você tem esses momentos em que olha para seus pais como humanos ao invés de apenas pais, sabe? Isso foi esse momento pra ela.

fear-the-walking-dead-s02e12-dave-erickson-acerto-de-contas-002

Qual foi sua reação a ela dizer a Alicia que eles não iriam conseguir?

Mercedes Mason: Como feminista, eu pensei “Se liga, moça! Você está doida?” [risos]. Mas eu entendo que esse é o fundo do poço pra ela. Ela perdeu sua fé e não vê o ponto de continuar de lugar a lugar. Ela está no fundo do poço, mas ao invés de desmoronar e pular da sacada – o que ela poderia facilmente ter feito – ela toma sua vida em suas próprias mãos. Ela teve que chegar ao fundo do poço para tomar essa atitude.

Você acha que Ofelia está correndo em direção a algo ou fugindo de algo?

Mercedes Mason: Ela está absolutamente correndo em direção a algo, porque ela poderia facilmente continuar no grupo como uma pessoa invisível e ver o que acontece, ou ela pode tomar a responsabilidade e se descobrir. Eu acho que você deve correr em direção ao que você conhece. É exatamente por isso que ela vai a lugares que ia com Will. Há conforto lá. Como você termina o capítulo de um livro? Você o lê de novo até se sentir satisfeito e então você pode deixá-lo. É isso que ela está fazendo.

Como foi filmar naquele enorme, luxuoso hotel? Foi uma boa mudança em relação ao barco?

Mercedes Mason: Foi estranho porque muitos membros do elenco ficam naquele hotel. Aquele barco tem suas dificuldades, porque o vento fica muito forte e pode ficar muito frio, então foi bom ficar num lugar fechado onde você pode ter um controle melhor de luz e som. Eu não tive que passar horas no ADR (substituição automatizada de diálogo), tentando entender o que eu estava balbuciando [risos].

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Fonte: AMC


Comentários