ATENÇÃO: Este review contém spoilers do quinto episódio da segunda temporada de Fear the Walking Dead, S02E05 – “Captive”, e dos quadrinhos de The Walking Dead. Leia por sua conta e risco. Você foi avisado.

Não, longe de ser fanatismo ou qualquer tipo de apelo para alavancar a série derivada, mas Fear the Walking Dead traz personagens que parecem estar sempre um passo à frente dos da série original, se considerarmos a linha do tempo. Fato é que os personagens de Fear parecem estar bem mais inteirados do que Rick e seu grupo, quando na primeira temporada. Discutiremos esse ponto mais para frente, partindo agora para a descrição do quinto episódio da segunda temporada, Captive.

O episódio inicia fazendo parecer que estamos assistindo “Na cozinha de Nigella”, ou qualquer um desses programas matutinos de receitas. Connor está sendo um ótimo anfitrião e preparando um suculento bife para Alicia. Ela parece totalmente desconfortável e a procura de uma deixa para que possa escapar. Os dois iniciam uma conversa, mas são interrompidos por uma queda de luz repentina. Alicia se vê trancafiada no interior da navegação, mas acaba encontrando uma saída para o convés e descobre que se trata de um barco inerte sobre o porto.

Travis está enjaulado e solitário no interior da embarcação pirata. Até então não tínhamos explicações racionais para o motivo real do interesse de Connor no patriarca Manawa, mas, por fim, matamos dois coelhos numa cajadada só: Alex (a moça do avião) está viva e foi acrescida ao grupo de Connor e Travis foi capturado a pedido dela. Depois de Strand partir a corda que içava Alex e Jake, Alex teve de sacrificar o companheiro, visto que a morte era iminente a ele. Ela foi encontrada por Connor, quando esse estava em busca de Abigail e passou informações para eles dos tripulantes – assim descobrimos que Alicia falava a verdade quando disse para Daniel que não havia dado as informações que os piratas tinham -, em troca de suas informações, Connor prometeu-lhe entregar Travis.

Falando em Abigail, Daniel trata os ferimentos de Reed – que mesmo após ter sido fuzilado, empalado, esfaqueado e espancado, continua vivo – e é observado por Chris. Reed faz muito esforço para amedrontar Salazar, mas as tentativas de constrangimento são infundadas. Chris se responsabiliza por ficar vigiando o prisioneiro – quem já previu nessa cena que Chris faria alguma besteira, levanta a mão.

Madison está no comando do barco, enquanto Strand está deitado e parece estar bastante debilitado. Pela primeira vez, Strand parece não se importar com as decisões da senhora Clark e, lhe dá o aval para recuperar seus familiares. Madison e Daniel desenvolvem uma estratégia simples, mas eficaz: sabendo que Connor e Reed são irmãos e que, conforme informações do próprio Reed, Connor faria qualquer coisa pelo consanguíneo, provavelmente o chefe dos piratas aceitaria um sistema de trocas.

fear-the-walking-dead-s02e05-captive-015

Alicia continua tentando a todo custo achar uma deixa para escapar dos piratas e, discretamente consegue furtar de Jack um canivete. Ela simula estar muito interessada em contribuir para o grupo de Connor, quando percebe que Abigail se aproxima deles. Alicia questiona Jack sobre o fato de sua família estar ou não em segurança. Jack propõe que os dois fujam para reencontrarem os familiares de Alicia. Antes de ir, ela procura por Travis, e vemos uma cena amorosa entre os dois. Alicia promete que voltará para resgatá-lo.

Em Abigail, Chris, após ouvir silenciosamente diversas tentativas de Reed de desestabilizá-lo emocionalmente, acaba disparando com um revólver contra o irmão de Connor. O grupo parece desolado, visto que após o aceite de Connor pela troca, as esperanças de recuperar Travis e Alicia parecem ir por água abaixo. A surpresa do grupo se dá, quando Reed retorna transformado. Ofelia e Nick estão prontos para por fim no infectado, quando Daniel os impede. Daniel – o deus das estratégias – usa o infectado, colocando em sua cabeça um saco, para disfarçar sua transformação.

Madison segue para o porto onde Connor o espera com Travis (também com um saco na cabeça. Qual a real necessidade?). Aí vemos uma cena interessante, Madison tira o capuz de Reed infectado e o lança sobre Connor que é mordido pelo irmão, bem como seus capangas. Travis e Madison correm para o bote e avistam Alicia no convés do navio pirata com Jack. Alicia tem uma breve conversa com o quase namorado e se lança ao mar, sendo resgatada pela mãe.

Bem, comecemos por algo que achei surpreendente para o lado negativo: Alex. Sabíamos que a personagem viria dos websodios, e criamos grandes expectativas para isso. Vibramos quando ela apareceu no terceiro episódio e ficamos sem entender quando ela foi abandonada a mercê, em alto-mar por Strand. Agora ela aparece do lado dos vilões e muito provavelmente, não virá a se unir aos protagonistas.

Connor e grande parte de seu pessoal estão mortos. Vivos (ao menos dos que nos foram apresentados), temos Jack e a mulher grávida – alguém anotou o nome da personagem? Alex ainda está lá com eles. Aparentemente o grande vilão da segunda temporada já está morto… Ou não. E se Alex tomar as rédeas da equipe e continuar com sua sede por vingança? Obviamente que sua historia não deva terminar naquela cena com Travis. Entretanto, no ponto onde a deixaram não se parece ter muito que fazer, senão atribuir-lhe o papel de grande vilã. Teria em seu favor Jack. Ele provavelmente ainda não desistiu de Alicia e fará de tudo para encontra-la novamente. Poderia contribuir com Alex na busca pelos tripulantes de Abigail.

Chris consegue fazer jus ao seu sobrenome. Por que ele precisa querer provar a todo o momento sua capacidade de sobrevivência? Todas as vezes que ele tentou fazer algo para o bem do grupo, o resultado foi negativo e de alguma forma prejudicou os outros personagens. Por um tempo ainda se levou a história de adolescente rebelde em crise após a morte da mãe, mas querendo ou não, todos passaram por traumas e nada justifica os atos de tolice de Chris.
Alicia parece ser inocente, mas suas táticas de simulação se assemelham muito com a de uma personagem da série original, Carol. Ela agiu pelas costas de Jack o tempo todo e o usou para tentar chegar onde queria. Se a personagem tiver chances de continuar viva, poderá ir longe como alguém totalmente estrategista e inteirado do mundo onde está.

Strand e Flores tornaram a trazer a tona velhos sentimentos. Será que realmente sabemos tudo sobre Strand, ou ainda há partes de suas pretensões que desconhecemos? Na conversa que os dois tiveram – sim, em espanhol na frente de Daniel – pareceu haver segredos ainda escondidos naquilo que já nos foi revelado de Strand. Sobre ele, é esperar para ver.

fear-the-walking-dead-s02e05-captive-009

Chegou o momento de falar do ponto da introdução. Os personagens de Fear, pela linha do tempo, ficaram sabendo antes de Rick sobre a infecção não ser propriamente espalhada pelas mordidas, mas que todos já estão munidos da doença. Antes de Rick e Glenn, Nick descobriu que os mordedores são atraídos pelo olfato e que é uma ótima ideia cobrir-se com as entranhas dos mortos para não ser percebido. Agora, pela primeira vez no mundo de Kirkman, um sistema de trocas deu exatamente certo. Madison e Daniel conseguiram o que o grupo de Rick ainda não conseguiu: trocar sem perder. Ainda, a cena de Madison entregando Reed para Connor fez uma referência enorme ao mundo dos quadrinhos, quando Negan entrega Holly encapuzada para Alexandria e quando lhe tiram o capuz, ela já está zumbificada e acaba mordendo alguns dos residentes da cidadela administrada por Rick.

Madison é a líder, ponto. A mulher é totalmente propensa a liderar e quando o assunto é a segurança de quem ama, ela faz sua vontade imperar. Ninguém consegue lhe deter no que quer fazer e quanto a ela, ou você é cooperador, ou é inimigo. Claro, ainda não temos uma Madison que se compare ao Evil Rick, mas é questão de tempo para que ela se desapegue de seus princípios morais e éticos.

Daniel é um grande personagem. Ele consegue ser uma mistura de tudo aquilo que forma um personagem forte: inteligente, perspicaz, investigativo, frio, calculista. Torço para que tenha vida longa e tenha seus sentimentos e posições bem explorados no decorrer da série.

Então, você acha que levar Alex para o lado obscuro é uma boa opção? Ela poderia se tornar o grande vilão da série, trazendo uma grande batalha feminina: Madison X Alex? Quais são os segredos de Strand com Flores? Quando Chris deixará de ser o inepto do grupo? Comente conosco abaixo!

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Comentários

  • Igor Batista

    Faltou falar daquela voz que apareceu pra Daniel, mais Flashbacks a vista

    • Karine

      Vdd, esqueceram dessa cena… Eu pensei que ele pudesse estar enlouquecendo pq, aparentemente, a voz era do zumbificado Reed…

    • Luna

      Stress pós-traumático do tempo de guerrilha no México voltando?

      • Wilton Wagner Cruz

        Na verdade Daniel Salazar era general e torturador da ditadura em El Salvador. Concordo, deve ser trauma dessa época.

    • Carlos Alfredo Knewitz

      Esquecidíssimo. Mas, como os amigos abaixo já comentaram, minha opinião é de TEPT(transtorno de estresse pós-traumático), que já vimos acontecer em The Walking Dead com Sasha, após a morte de Bob. Muito embora, achei bem “mal feito” o efeito da voz.

      • Mumm Rá

        Por isso estou achando que Salazar vai morrer e talvez pela Ofélia e essa crescendo

    • Pachacutti

      Nos moldes de Michone e Rick … (?)

  • Ci

    Novamente achei o episódio dessa semana muito bom. Finalmente vimos que a Alex era quem estava por trás de grande parte do que aconteceu com Abigail afinal ela deu informações que fizeram o grupo do Connor encontra-los mais rápido. Foi sensacional ver a Alicia manipulando o Jack o tempo todo e dando-lhe uma pranchetada na cara quando ele ocultou informações dela, e vimos que ela ia embora sem ele mesmo, pois ela foi buscar o Travis e já tinha informações sobre o barco que poderia pegar para escapar, ela ia deixar o Jack para trás de certeza. Adorei a Madison tomando as redeas e cortando o Nick quando ele quis ir fazer a troca, ela já percebeu que o filho transferiu o vício dele para outra coisa. E o Chris não cansa de fazer besteira, o garoto não aprende, por pouco ele fica sem pai e a Madison sem filha porque ele não sabe se controlar, já deu de atitude de menino revoltado. Apenas aguardando a volta do Jack querendo a Alicia de volta e querendo explicações do abandono dela, a grávida com raiva por ter ficado presa e a Alex que ainda vai querer se vingar deles. Ainda penso na possibilidade de o Connor aparecer sem um braço por aí mas vivo.

  • Lucio Clash

    Eu acho que o Chris já matou pelo menos 3 pessoas né?!
    Eu tenho um palpite simples, mas viável: Acho que essa metade da 2 temp. vai terminar com a morte de algum personagem principal do grupo (ou dois, maybe), e talvez um gancho (com ou sem morte) como na série TWD.

    • Carlos Alfredo Knewitz

      Minha campanha por enquanto é: #LevemOTravis

      • Lucio Clash

        O meu palpite é: Travis, Ofelia ou Chris. Talvez isso sirva pra aumentar a audiência na serie assim como na serie principal. Não é assim que eles fazem?

  • Vinicius Maestro Lodo

    A serie é muito boa, mas …

    E vai continuar, pois essa serie é The Walking Dead – Los Angeles. O grande erro e principal problema foi lapso temporal entre o 3 ep da primeira temporada e o 4, no terceiro e mundo tva lá, estado de sitio(lei marcial), som da policia ao fundo na ultima cena do episodio apos Nick ver o avião. E no quarto o mundo acabou, e ninguém sabe como estes 9 dias aconteceu(9 dias foi a diferença entre o ep 3 e o ep 4).Ninguém queria ver General ou politico dando ordens, nos só queríamos ver como a sociedade caia, como as instituições responderam e caíram. Simples assim, cada ep vai ser menor a audiência, exceto se tiver sneak peaks com alguma imagem a respeito de instituições como policia, ou a frota naval fazendo o bloqueio, com as luzes fortes, na cena do Nick nadando até a costa, do resto se for só zumbi e tripas, a audiência vai cair.

  • Luna

    Pra mim a série ainda está inconsistente.
    Ela tem minha simpatia gratuita (mentira, tem por causa dos zumbis, mas cadê?).
    Como Maddison pode ser a líder se ela está sendo burra feito uma porta?
    Os meninos devem ter entre 19~16 anos, e ela tratando como se eles tivessem a idade da Willa e seu irmão.
    O episódio foi bom, mas cheio de falhas.
    Logo no início o Connor falou sobre o que restou depois que os desertores levaram tudo, isso me fez crer que eles foram do exército, mas o amadorismo daquela troca logo mostrou que não poderia ser.
    Sem contar que eles aparentavam ser tão poucos pra terem 5 barcos (8 com a Alex, mas eles pareciam ser tão organizados…).
    Depois a raivinha da Alex pelo o Travis que nem de longe pareceu aceitável. Pedisse a cabeça do Strand, mas do Travis? Pff
    Sem contar que ela era a mina que sabia das coisas nos microepisódios, ganhou a simpatia de geral. Todo mundo querendo ela no time dos sobreviventes. Meio frustrante.
    Ela como vila fazendo frente a Maddison?
    Pode funcionar, mas a Maddison não é lá essas coisas… Tipo, parecem que os caras nem sabem pra onde os personagens vão e já tão colocando conflitos que a gente só viu aparece em TWD depois que estava claro pra td mundo o que era o mundo pós-apocalíptico.
    Sinto falta disso na série, de uma perspectiva de futuro pros personagens e de vê-los crescendo pra que alcancem o almejado.

  • Lívia Albernaz

    “Falando em Abigail, Daniel trata os ferimentos de Reed – que mesmo após ter sido fuzilado, empalado, esfaqueado e espancado, continua vivo – e é observado por Chris.” —– ahhaahahhaha também me perguntei isso. Esse daí sobreviveu tipo Rambo.

  • Lívia Albernaz

    Mas falando da série. eu não gostei da primeira temporada. Achei fraca, personagens igualmente fracos. O casal me dava sono (ainda dá ). Porém continuei assistindo acreditando que iria melhorar. E está melhorando. O Nick saiu de um doidão drogado para um cara mega corajoso e de atitude. A rebelde sem causa adolescente americana Alicia também está crescendo. Tenho curiosidade também sobre o Daniel Salazar. Esse acho que promete surpresas também. Curto bastante esse personagem….

    • Carlos Alfredo Knewitz

      Gosto de Madison, quando ela está sozinha ou com Daniel, mostrando espírito de liderança. As cenas dela com Travis me deixam desanimado. Travis ainda não colou pra mim… onde ele aparece, a cena torna-se hora da soneca.

      • Mumm Rá

        Eu acho que Travis somente vai acordar quando seu filho morrer

  • Marcos

    Preferia a Alex como parte do grupo, não gostei muito do papel que ela tá tendo na série, mas acho q vai ser interessante…

    • Carlos Alfredo Knewitz

      Talvez será legal. Pensando no caso, seria a primeira vilã que teríamos a oportunidade de ver crescer. Em TWD, vemos o Governador já como vilão desde o princípio, assim como Gareth e agora Negan. Pela primeira vez vamos ter a chance de vermos um vilão crescendo e se formando e entender completamente os seus porquês.

      PS: Não há confirmação de que ela venha a ser uma vilã, apenas especulações.

      • Marcos

        Vdd! Por esse lado seria bem legal!

  • Pingback: Walking Cast - Fear #10 - Episódio S02E05: Captive - FEAR the Walking Dead Brasil()

  • Luis Fernando

    Estou apaixonado pela serie, gostei da review.

  • Pingback: [FOTOS] Fear the Walking Dead 2ª Temporada: Promocionais e bastidores do episódio 5 - FEAR the Walking Dead Brasil()

  • Rosane

    a cena da troca com o Reed zumbi de capuz me lembrou do jogo Michone onde acontece praticamente a mesma coisa

  • Vicente Rodrigues

    Feliz pelo “Rick” da série ser a Madison, uma mulher, e não o Travis-paspalho.

  • Jumbonium

    E mais uma vez Alicia quase estraga tudo, vamos ver quanto rabo ela ainda terá.
    Não vimos se Reed estava se transformando mesmo, o fato do Chris ter errado o tiro mostra que não queria matá-lo, talvez Reed entrou em choque. Quanto ao fato do grupo estar aparentemente a um passo à frente, deve-se à presença de Strand e as informações passadas pelo exército na primeira temporada, com exceção da sacada de Nick, que no fundo foi uma leve apelação dos roteiristas pra introduzir o truque em FTWD. Se Strand tem informações sobre o vírus e seus efeitos, pode ter passado à Nick (é meio natural se perguntar por que os zumbis não se atacam). Rick não tinha um grupo até o final da primeira temporada de TWD, o truque do sangue podre foi descoberto pelo Glenn (ou outra pessoa) bem antes de Rick chegar à Atlanta. Lembrando que Rick ainda dorme no hospital e Atlanta ainda serve de refúgio nessa altura de FTWD.
    Deve ter se passado uma semana entre a fuga de Los Angeles e o encontro com Alex. Quando o avião caiu o grupo ainda estava em LA e Alex não deve ter ficado nem 10 minutos naquela ilha cheia de zumbis, onde inclusive ainda havia um cara vivo preso aos destroços (quanto tempo uma pessoa aguenta sem água, comida e cercada de zumbis?).
    A única coisa que me chama a atenção é por que Flores acredita que dinheiro ainda tem valor. O antropólogo da ilha disse que nenhuma grande cidade na costa oeste restava em pé.