Essa análise NÃO CONTÉM SPOILERS do episódio.

Quando Fear the Walking Dead terminou o sétimo episódio para fazer aquela pausa marota na segunda temporada, os personagens do núcleo principal tinham ido um pra cada lado – algo semelhante ao que já vimos acontecer em The Walking Dead no midseason finale da quarta temporada, quando o Governador destruiu a prisão e o grupo de Rick se dividiu na jornada rumo a Terminus. Já em Fear, o cenário que tínhamos no final da temporada 2A era: Travis decidiu se separar do grupo para cuidar de Chris, o filho com tendências psicopatas; Strand, Madison, Alicia e Ofelia pareciam ter decidido voltar para o Abigail, ainda que provisoriamente; Daniel incendiou a propriedade Abigail e ardeu em meio às chamas (ou não?); e Nick cansou dos vivos e abandonou a família para caminhar com os mortos.

O trailer da temporada 2B que foi apresentado na San Diego Comic-Con mostrava um pouco de cada um desses personagens (exceto Daniel, mas minha aposta é que ainda não foi dessa vez que o velho Salazar reencontrou a patroa do lado de lá), mas não esperem tanta novidade assim no episódio 8. A julgar pelo midseason première, parece que Fear seguirá pelo mesmo caminho que The Walking Dead foi durante a temporada 4B: cada episódio será dedicado a um personagem ou a um grupo de personagens, até que eles consigam finalmente se reencontrar.

Digo isso porque o episódio “Grotesque”, escrito por Kate Barnow e dirigido por Dan Sackheim, gira em torno de uma estrela solitária: Nick. Veremos o que aconteceu logo depois que ele se separou da família, acompanharemos sua jornada solitária – ou por vezes na companhia dos mortos – e cheia de perigos rumo a Tijuana, descobriremos como ele se feriu (nenhum spoiler até aqui, basta dar uma espiadinha no trailer) e teremos até um flashback de seu passado, que dá algumas pistas sobre como ele chegou até a igreja do episódio piloto.

E ainda que Celia tenha sido devorada no episódio 7 por seus amados zumbis (ou não?), novos personagens serão introduzidos na segunda metade da temporada para manter acesa a discussão sobre a crença de que zumbis não são monstros e de que a morte é apenas a próxima fase. Uma dessas personagens será Luciana, interpretada por Danay Garcia, que vamos conhecer já no episódio de retorno e promete ter um envolvimento grande com o jovem Clark. Terá Nick finalmente encontrado pessoas que pensam como ele? Um lugar para viver em paz o restante dos seus dias? Segundo o showrunner Dave Erickson, as coisas podem não ser tão simples assim. Em uma entrevista recente, ele disse que podemos esperar que esse lugar mude a percepção de Nick – resta saber de que tipo de mudança ele está falando.

Dave também falou sobre a adrenalina que Nick sente quando está entre os mortos, adrenalina essa que parece ter substituído seu vício em heroína (mas hey, nós já havíamos cantado essa bola no Walking Cast *wink wink* ). A própria Madison diz para Strand quando Nick vai embora: “Nunca mais verei Nick de novo. Se você deixa ele sozinho, ele caminha direto para a morte”. Parece que todos os vícios de Nick levam para o mesmo caminho. E antes do final do episódio essa ideia será reforçada por outro personagem: “A morte não deve ser temida, mas também não deve ser perseguida. Existe uma diferença”.

Fear the Walking Dead retorna para a segunda metade da temporada em 21 de agosto, às 22h, no AMC Brasil.

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Comentários