Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do oitavo episódio, S02E08 – “Grotesque”, da segunda temporada de Fear the Walking Dead e dos quadrinhos de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido ou lido, não continue. Você foi avisado!

Depois de poucos meses da frenética mid-season, Fear the Walking Dead volta às telas com “Grotesque”, episódio centrado na continuidade do enredo de Nick. Além de Madison, nenhum outro personagem central fez parte do episódio dessa semana.

Bem, perceber que se trataria de um episódio centrado em um único personagem foi um pouco conflituoso. Normalmente é muito difícil conseguir prender a atenção do telespectador quando há um episódio de 40 minutos totalmente dedicados a um personagem. Contudo, Grotesque veio para nos mostrar que nem tudo é para sempre. Com uma trama linear, o episódio chama atenção por trazer muito do passado de Nick e explicar aos fãs um pouco mais de quem ele era antes do surto.

Nada nesse episódio teve mais valor do que os flashbacks apresentados. Eles nos trouxeram novamente a Gloria (a primeira infectada a aparecer na série) e nos mostraram quão afetuosa era à relação dela com Nick. Por mais que vivessem em dependência química, os dois pareciam manter um carinho mútuo. Em cima dessa relação conseguimos entender muito mais alguns porquês de Nick.

O episódio parece começar no amanhecer do dia posterior ao incidente que separou o grupo. Nick se apresenta disposto a procurar um local onde os mortos sejam compreendidos como eram com Celia e, para tanto, segue em direção de Tijuana. Quero ressaltar o quão grandiosa é a trilha sonora desse episódio e o quanto ela acompanha o desenrolar da trama. Ainda, não há nada que me dê mais agonia do que ver Nick coberto de sangue. Imaginar que a situação que nossos personagens vivem já não lhes permite o luxo de muitos banhos já é agoniante, mas pensar que alguém – mesmo sabendo da dificuldade de se estar limpo no novo mundo – procura estar o mais sujo possível é totalmente desesperador (passei os 40 minutos do episódio com uma espécie de síndrome de coceira, só de ver a situação de Nick).

Nick começa muito bem sua caminhada, abastecido com mantimentos que lhe levarão intacto até o destino. É o que ele pensa. Com o cair da noite, Nick adentra a uma casa que parece estar abandonada para se refugiar e descansar um pouco. Entretanto, acorda com uma mulher manuseando um bastão de basebol (Negan, até aqui?) e lhe enxotando do local. Na movimentação, acaba por ser obrigado a deixar para trás sua mochila com os mantimentos (aqui a crítica à supremacia da língua inglesa e a não necessidade dos americanos serem fluentes em outra língua começa a valer: se Nick se comunicasse em espanhol talvez não passasse por necessidades mais a frente). Ele acaba tendo que seguir viagem só com a roupa do corpo.

fear-the-walking-dead-s02e08-grotesque-review-001

Tratando-se do México, o calor e a desidratação começam a dar as caras e Nick segue em busca de qualquer gota da água que possa encontrar. Nessa busca, acaba avistando um pequeno grupo de homens com aparência nada agradável. A impressão se confirma quando eles partem para cima de Nick, que consegue fugir (graças à péssima mira do grupo).

Algum tempo depois, Nick se depara com feras prontas para lhe devorar, e não, não são os infectados. Cachorros famintos atacam o rapaz ferindo-o, mas ele consegue subir em cima de um ônibus enquanto ao mesmo tempo uma horda se aproxima. Vemos os antigos animais domésticos atacando os infectados que por fim acabam devorando aqueles que outrora já foram considerados os melhores amigos do homem.

Nick segue disfarçado entre os mortos e começa a ouvi-los falar com ele (não venham os conspiradores que afirmam a possibilidade de um crossover entre as séries dizer que isso indica Nick como Alpha dos Sussurradores). Seguindo com os mortos para Tijuana, Nick se depara novamente com o pequeno grupo que anteriormente tinham atentando contra sua vida.

O grupo de homens primeiramente não percebe a presença de um sobrevivente entre os infectados e começa a atirar neles. Contudo, um dos homens acaba vendo Nick e tenta mata-lo, contudo, os mortos salvam a vida de Nick e devoram dois integrantes do grupo. O terceiro membro acaba fugindo.

Totalmente desidratado, Nick acaba se desvencilhando dos mortos, ficando para trás e desmaiando. Ele é observado por um segundo grupo de três pessoas (Luciana e dois homens) que discutem sobre ajuda-lo ou não. Por fim, o grupo liderado pela mulher decide deixar Nick para trás.

A salvação de Nick dessa vez vem dos céus em forma de chuva. Uma rápida tempestade fornece o necessário para que o garoto retome suas forças e siga sua sina em direção de Tijuana. Chegando ao destino final, Nick encontra uma cidade fantasma e sai em busca de um medicamento para sua perna machucada pelos cachorros. Luciana reaparece e dessa vez presta socorro ao personagem central. Leva-o a uma comunidade onde recebe cuidados médicos.

fear-the-walking-dead-s02e08-grotesque-review-002

Finalmente chegamos neles: os flashbacks. Nos flashbacks descobrimos que além de um singelo viciado em drogas, Nick também estava dando força ao tráfico de drogas. No lugar onde está recolhido, Nick revela a Gloria que seu pai é um homem deprimido, de poucas palavras, distante e indiferente, enquanto a mãe é o total oposto. Gloria consegue extrair de Nick todo o sentimento de raiva que há do pai, Nick parece não contente com a forma que o genitor maneja a família. Em outro flashback descobrimos o fatídico acidente que acabou por matar o patriarca da família Clark, e o quanto isso afetou a vida de Nick. A também uma cena que remete a primeira cena da série, na mesma igreja, provavelmente no dia anterior, entre Nick e Gloria, onde os dois demonstram todo o seu conhecimento sobre o uso de drogas.

A união entre os flashbacks e a trama central foi fantástica. Podemos perceber que Nick, usava o vício em drogas como uma fuga do relacionamento dificultoso que tinha com o pai. Quando o pai morreu, o luto de Nick o levou mais fundo. Tudo nos leva a crer que a maneira como Nick encara os infectados e toda a defesa que ele faz por eles é na verdade uma forma de preservar o pai vivo.

Ainda, é possível falar que estar entre os mortos se tornou o novo vicio de Nick. É algo que ele não consegue não fazer e todas as situações parecem leva-lo a estar entre os infectados. Quando ele retira o cinto de um dos mortos e usa como torniquete, há direta ligação com a cena em que Gloria faz o mesmo para se drogar.

Nick doou-se aos mortos, e aparentemente eles tem o defendido. Defenderam-no quando os cachorros tentaram ataca-lo e quando o grupo de três homens tentou contra sua vida. Assim como as drogas livraram Nick dos problemas familiares.

Algumas perguntas restaram quanto a esse episódio: a nova comunidade aonde Nick chegou aceita os mortos ou os considera monstros? Como Nick irá se integrar com os sobreviventes de Tijuana? Madison, Alicia, Strand e Ofelia estão indo para o lado oposto, bem como Chris e Travis. Como o grupo se encontrará novamente? Como Madison encontrará o filho tão distante? Nick conseguirá enfrentar os problemas da vida de frente ou continuará a se esconder nos seus vícios?

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Comentários