Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do nono episódio, S02E09 – “Los Muertos”, da segunda temporada de Fear the Walking Dead e dos quadrinhos de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido ou lido, não continue. Você foi avisado!

O episódio do último domingo confirmou mais uma vez o potencial que Fear tem em si. Foi um ótimo episódio por si só, mas com certeza servirá de base para o desenvolvimento de um grande enredo.

Confesso que a cena de abertura com Nick acordando na comunidade de Tijuana me deixou um pouco confuso. Não, não há nada de contraditório no desenvolver da cena, mas após um episódio na semana anterior totalmente destinado a ele, esperava que dessem voz às outras histórias e personagens. Com o desenrolar da trama compreendi o quão útil era a presença do núcleo de Tijuana novamente marcando presença.

A história de Luciana, Alejandro e dos demais sobreviventes da comunidade de Tijuana ainda é um pouco confusa, mas tratando-se do que já nos foi apresentado vemos o quão longe a fé pode levar um ser humano. A fé é um dos pilares da sociedade desde os seus primórdios (é inerente aos humanos, todos possuem fé: num deus; em um futuro melhor; de que você estará respirando nos próximos segundos), e mantê-la no mundo pós-apocalíptico é necessário para que os poucos sobreviventes não percam a razão de viver. Esse é o papel de Alejandro no meio da comunidade, por mais que saiba que a “religião dos mortos” não é tão real quanto gostaria que fosse, ele sabe que precisa fazer as pessoas acreditarem nela.

Nick é o personagem utilizado para apresentar esse rumo diferente que Fear vem tomando quanto à The Walking Dead. Fear não está tratando apenas da sobrevivência no mundo zumbi, mas sim, do ponto de colisão e ruína da sociedade. As cenas entre ele e Luciana nos ajuda a entender um pouco mais de Alejandro, da comunidade de Tijuana, da fé e da organização social após o apocalipse.

Numa das cenas finais de Nick, onde ele conversa com Alejandro sobre o risco que correu para conseguir um bolo para dar para a garotinha órfã (que perdeu o pai no início do episódio), compreendemos que Alejandro está preocupado com o momento em que as pessoas se derem conta de que a fé é inútil e que tudo está perdido.

Após o núcleo de Tijuana, vamos tratar do grupo Madison, Strand, Alicia e Ofelia. Madison ainda está preocupada com Nick e quer a todo custo encontra-lo. Importante notar que nesse episódio a história segue focada em Nick e Madison, os outros personagens apenas fazem interações e contribuições para a história.

Após perceberem que Abigail havia sido furtada, o reduzido grupo procura abrigo em um hotel próximo à praia. Enquanto Alicia e Ofelia seguem para os andares superiores para investigar e procurar suprimentos, Madison e Strand resolvem relembrar o passado acompanhados de bebidas alcoólicas.

Nessa relação, Madison e Strand, descobrimos muito sobre o passado da matriarca Clark e porque ela é uma mulher tão protetora. É-nos revelada a verdade sobre a morte do pai de Nick e Alicia, que não foi um acidente, mas um suicídio e que Madison havia destorcido a história para salvaguardar os filhos.

Nesse enredo o tema principal é dado como “escolhas”. Madison, alterada pelo álcool, acaba demonstrando suas frustrações quanto às escolhas que fez na vida. Importa salientar o quanto Kim Dickens e Colman Domingo funcionam bem juntos. Madison e Strand são dois personagens com muita fluidez e são bons em conjunto.

Alicia e Ofelia, nos andares superiores, estão desenvolvendo uma relação amigável. Após encontrarem um zumbi enforcado, discutem sobre os motivos que levam alguém a chegar nesse ponto. Alicia demonstra toda a sua fé (olha a palavra central do episódio aqui de novo), enquanto Ofelia representa a imagem de ser humano da qual Alejandro tem medo que a comunidade de Tijuana descubra: a desesperança. Ela parece pender para o lado de que não há mais pelo que lutar, a esperança é invalida.

As duas descobrem que há água quente nos banheiros e Alicia vai tomar banho. Ao sair, percebe que Ofelia desapareceu e tudo indica que possa ter pulado da sacada. Alicia se aproxima da sacada e vê zumbis se atirando de suas sacadas e indo em direção ao local onde estão Madison e Strand.

O episódio dessa semana nos demonstrou mais uma vez o horizonte distinto que Fear irá adotar. Como prometido, é uma série sobre relações humanas em meio ao caos. Em cada episódio estão deixando nossa curiosidade mais apurada. Há várias questões não resolvidas, como: Quais os objetivos de Alejandro em Tijuana? Ele é um vilão ou será um grande cooperador na história? Tijuana irá durar por mais quanto tempo? Como Nick irá encontrar os demais? Madison deixará de ser tão protetora e permitirá que os filhos arquem com seus atos? Onde diabos foi parar Ofelia? Chris e Travis já estão mortos (seria pra glorificar de em pé)?

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Comentários

  • Vinicius Gandolfi

    Só digo uma coisa: Para a morte vivemos, para a morte nos entregamos.

    • Kaio

      “Da morte viemos e para a morte nos entregamos”

  • Igor de Oliveira Zwicker

    Não entendi muito bem qual o critério de escolha da “oferenda” (naquele caso, o pai da garotinha).

    • Rosane

      pelo que entendi ele ja estava doente e iria morrer de qualquer jeito

      • Igor de Oliveira Zwicker

        Havia entendido dessa forma, mas o discurso posterior da personagem foi confuso, tanto que Nick suscita um “ele pode ter virado ‘lanche’ à toa” e ela não rebate. Ora ficou parecendo um sacrifício qualquer, aleatório, ora pareceu que, de fato, ele já estaria infectado. E obrigado pelo feedback. 😉

  • Michael Douglas

    Precisa de um review e de um comentando?