Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo episódio, S02E10 – “Do Not Disturb”, da segunda temporada de Fear the Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Não há nada como uma boa orientação parental parar trazer meninos adolescentes de volta do lado sombrio. Pelo menos era o que pensávamos antes do final do episódio de domingo, “Do Not Disturb”, de Fear the Walking Dead. E então Chris foi e ignorou completamente o sábio conselho de seu pai e ao invés, matou um homem inocente, cuja propriedade ele e seus novos amigos valentões agora invadiram.

O que a jogada do Chris assassino significa lá na frente? Mais, o que devemos fazer daquele casamento do inferno no hotel? E onde diabos está Ofelia? A Entertainment Weekly conversou com o showrunner de Fear, Dave Erickson, para obter respostas.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Ok, geralmente nós vamos por esses episódios de uma forma um tanto cronológica, mas nós começamos pelo final dessa vez, pelo que talvez seja o momento mais chocante da série, onde Chris apenas mata a sangue frio um cara que apenas estava tentando proteger sua propriedade. O Chris oficialmente cruzou a linha para o lado sombrio agora?

DAVE ERICKSON: Eu acho que Chris cruzou para o lado apocalíptico, com certeza. Aqui está a coisa para Chris: o que ele estava procurando – e isso remete de volta ao episódio 02 – Chris é um garoto tentando achar seu lugar. Antes do apocalipse, ele era alienado, ele era muito irritado, era muito perdido, e então o apocalipse aconteceu, e ele perdeu sua mãe pelas mãos do próprio pai, e ele passou por algumas experiências bem infernais. Eu acho que a maior coisa que Chris precisa é encontrar pessoas que realmente o entendam. E então eles encontram os Americanos nesse episódio – Brandon, Derrick e James – é a primeira vez que ele encontra pessoas em um bom tempo que parecem realmente entendê-lo, e eles parecem estar jogando o mesmo jogo. O gatilho para ele – figurativamente e literalmente – é quando o fazendeiro chega e atira em James. E uma vez que isso acontece, eu acho que Chris reage instintivamente, e ele o faz porque acha que está protegendo seus amigos.

No episódio 13, nós vamos retornar à história e vamos entender um pouco mais o que Chris estava pensando e as razões que ele acha serem justificadas, e realmente se torna um tipo de jogo de moralidade onde Travis o levou para longe, decidiu abandonar o resto da família porque ele acha que pode salvar seu filho. E ele sente um certo nível de culpa e uma obrigação definitiva de proteger seu menino.

Eu acho que o momento que o Chris puxa o gatilho é devastador para Travis, e ele vai passar mais um episódio, talvez mais um, tentando salvar esse garoto que ele ainda consegue lembrar levando para acampar e ainda lembra quem ele era antes do divórcio, antes do apocalipse – e eu acho que para Travis, é muito difícil aceitar que ele se foi completamente.

Então sim, acho que Chris cruzou a linha, mas também acho que ele sente que foi justificado e que existia uma real razão prática e pragmática para fazê-lo. Esse é um mundo novo agora onde você mata para proteger seus amigos, e acho que da perspectiva dele, foi isso que ele fez.

Cliff Curtis as Travis Manawa, Lorenzo James Henrie as Chris Manawa, Kelly Blatz as Brandon Luke, Kenny Wormald as Derek, Gustavo Pastrana as Farmer  - Fear The Walking Dead _ Season 2, Episode 10 -  Photo Credit: Richard Foreman/AMC

É o pior pesadelo de todo pai e tão relacionável na preocupação que todo pai tem sobre seus filhos caindo na turma errada e se alimentando de energia negativa.

Dave Erickson: Travis vê isso descer a pique. Travis reconhece que esses caras não são boas pessoas, e Chris não consegue ver. Os elementos que assustam Travis são os mesmos que fazem Chris se corresponder.

Existe algo na observação de Chris de que Travis quer ficar por perto para que Madison possa encontra-los?

Dave Erickson: Sim, acho que absolutamente sim. Tematicamente, uma das coisas na segunda metade é sobre estabelecer um lugar e estabelecer uma casa, e para Madison, Alicia e Strand, eles encontram esse lugar no Rosarito Beach Hotel. Para Madison, é uma questão de eu preciso de um lugar para Nick retornar, porque, ainda que ele estivesse acostumado a fugir e desaparecer por dias e semanas sem fim antes do apocalipse, ele sabia qual era seu endereço. Ele sabia como voltar para sua família. Eu acho que ela realmente esta tentando construir algo que seja uma possibilidade para Nick.

Nick, como vimos, está tentando achar um senso de comunidade nesse mundo, e ele está tentando encontrar um grupo de pessoas que o entendam e o permitam continuar fazendo o que Madison suspeita que ele está buscando, seu novo vício, que é essa conexão com a morte.

Então, para Chris e Travis, eles estão acampando, eles estão lá fora na estrada, estão tentando entender qual vai ser a próximo jogada, e uma das coisas que os Americanos representam é um desafio ao plano de Travis, porque Travis planejou sobreviver, buscar por suprimentos, talvez até encontrar um lugar para acampar por um tempo, mas sua esperança era que Chris virasse à esquina e chegasse a um lugar onde Travis poderia levá-lo de volta e reconstruir a família.

O que os Americanos sugerem é que eles voltem à América, e é exatamente isso que Travis não quer fazer, e Chris joga isso na cara dele, e ele está certo. Eu acho que Travis quer deixar Chris bem de novo e então voltar para Madison e ele quer colocar sua família junta novamente, e isso é algo que Chris absolutamente não quer fazer.

Alycia Debnam-Carey as Alicia Clark, Karen Bethzabe as Elena Tobar - Fear The Walking Dead _ Season 2, Episode 10 - Photo Credit: Richard Foreman Jr/AMC

Vamos mudar de assunto e falar sobre o que deve ser o pior casamento de todos os tempos, com o pai da noiva comendo o rosto da noiva. Vocês têm usado flashbacks mais deliberadamente que o outro show de The Walking Dead. Porque isso funciona para o seu show?

Dave Erickson: Eu gosto da justaposição. Eu acho que o que construímos com o Rosarito Beach Hotel é que existe a ideia de uma fratura, que existem dois lados dentro do hotel que Madison tem que unir, e aquele flashback foi para estabelecer o que aconteceu que gerou essa fratura entre o gerente do hotel e então a família da noiva e do noivo.

Mas sim, foi um terrível, terrível casamento. O que eu amei, no entanto, é quando vimos Madison e Ofelia entrando no salão do banquete onde o casamento aconteceu, e quase conseguiu esse tipo de sentido meio Miss Havisham, Great Expectations, de que esta era uma celebração que agora está presa no tempo, e eu acho que isso é de partir o coração.

Então, começa como um flashback, mas também conseguimos explorar as repercussões do que aconteceu naquele dia, e também conseguimos ver como impacta os personagens emocionalmente. Porque eu acho que quando Ofelia vê o resíduo e o que restou do casamento, ela pensa no que ela perdeu e no que sacrificou, e é um momento fundamental que a coloca em uma direção diferente e a leva a uma espécie de pausa para Ofelia do resto de sua família improvisada.

Falando nela, onde está Ofelia agora?

Dave Erickson: Você vai descobrir. Ela se tornou um pouco fatalista após a morte percebida de seu pai, e acho que ela está percebendo que o tempo é curto. Ela não acredita que eles vão sobreviver, e acho que ela também não aceita o fato de que Alicia, Madison e Strand estão agora constituindo uma nova família. Ela tem muito em mente de que sangue é sangue, e pela maior parte, ela foi forçada pelas circunstâncias com esse grupo, e agora que seu pai se foi e sua mãe se foi, ela talvez veja uma espécie de última oportunidade para sumir e fazer algo que é sobre ela. Então ela desaparece. Nós vamos encontra-la em um episódio mais a frente e ver o que ela está aprontando.

Conhecemos Elena, que trabalhou na segurança do hotel e diz a Alicia que ela trancou a festa de casamento para salvar o restante dos hóspedes do hotel. Boa ou má decisão da parte dela, Dave?

Dave Erickson: Naquele momento, boa decisão. No pré-apocalipse, quando você não sabe exatamente o que está acontecendo e você não sabe se é contagioso, eu acho que a responsabilidade dela como gerente do hotel, era proteger o hotel. Tinha muita gente no momento, e de repente, você tem uma noiva tendo o rosto devorado pelo próprio pai. Ela queria manter aquilo contido dentro daquele espaço. Então eu acho que foi a decisão correta para alguém que estava tentando proteger o bem maior.

Isso não significa que ela não esteja de coração partido. Não significa que ela não está chateada com o que aconteceu. Retrospectiva sendo 20/20, eu acho que ela olha para trás e percebe que o que ela fez apenas garantiu que mais pessoas iriam morrer. Não salvou ninguém, realmente. É fácil ver isso agora, e eu acho que é isso que a Alicia sugere. Digo, ela tomou a melhor decisão que podia naquele momento, e é claro que levou a esse racha no hotel que deve ser reparado.

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly


Comentários