Post destinado a comentários do episódio “Date of Death” da segunda temporada de Fear the Walking Dead. Muitos spoilers poderão (e serão) encontrados por aqui. Se você ainda não assistiu e não gostaria ter as surpresas do episódio “estragadas”, não prossiga. Você foi alertado!

Este post está destinado à exposição de ideias sobre tudo o que pode estar acontecendo na série. Utilize os comentários abaixo para compartilhar conosco suas teorias.

SINOPSE: “Refugiados aparecem no hotel, incluindo um inesperado refugiado do nosso grupo. Madison se esforça para lidar com a situação.”

Roteiro: – | Diretor:

DISCUSSÃO DO EPISÓDIO “DATE OF DEATH”:

Talvez a maior surpresa desde o retorno da segunda temporada, “Date of Death” foi um dos mais emblemáticos episódios que Fear The Walking Dead já apresentou desde a sua estréia.

Ironicamente, Chris e Travis foram os principais protagonistas da trama que moveu o capítulo deste domingo. Talvez por uma boa escolha do diretor, o destino de Chris foi uma incógnita que recorreu durante mais de meia hora até a explicação final do pai para Madison, no hotel – a trama toda movimentou-se através de um jogo entre passado (continuação dos eventos do episódio 11) e presente (continuação do episódio passado).

Chris até pode ser o personagem mais odiado pelo grande público da série, mas isso não faz com que ele seja desinteressante, afinal, apenas aprimora várias questões sobre tudo que o levou até ser quem é. E não, ele não era apenas um garoto mimado antes do apocalipse. O fluxo entregue pelo roteiro para frisar o passado problemático de um garoto que sofria bullying no colégio e as chances de ir para o outro lado da história quando nada mais daquele passado importa é louvável. Ainda, por incrível que pareça, Lorenzo Henrie parece bastante confortável com o papel até mesmo nas cenas envolvendo algum tipo de contraste para a carga emocional entre pai e filho.

Por mais que a saída de Chris pareça ter sido rápida, ficou claro que Fear não “teme” usar algumas coincidências, e na próxima semana veremos um provável combate entre pai e filho servir para o encerramento da temporada.

Em suma, Fear The Walking Dead entregou seu melhor episódio desde o retorno do hiatus, provando que nunca é necessário o apelo a sangue e vísceras quando uma história pode ser muito bem contada através de diálogos e bom uso dos personagens.

E aí, quais são as suas interpretações sobre o episódio? O que espera para o final da temporada? Compartilhe conosco nos comentários.

 

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Comentários

  • Natan Lopes

    nem vi ainda’-‘espera sair o epi dublado

  • LUCAS

    uM BOM EPISODIO….PARA ENCHER LINGUIÇÃ!!!!

  • Travis só atrapalha!

  • DassJennir

    Travis é um verme. No episódio que matarem ele eu estarei feliz 🙂

  • Leandro Antonio Silva

    Série sobre zumbi, sem zumbi (referente ao atual episódio), sem contar que o episódio não avançou nada (dava pra deduzir o episódio inteiro pelo final do último). Quando comecei a assistir a série, gostei muito do potencial de conflito humano nela (família desunida, país diferente….), pra mostrar que não era apenas um apocalipse zumbi, mas também um apocalipse humano (no sentido de que os sobreviventes não são mais os mesmos). The Walking Dead tem conflito humano, mas a maior parte foi perdida com as temporadas, acabando por virar o clássico mocinho vs vilão, com os zumbis de papel de parede. Em Fear The Walking Dead, eu percebi um mal aproveitamento e uma má condução dessa trama que me deixou triste, principalmente porque a ligação entre os zumbis e os humanos foi reduzida a plano de fundo em plena segunda temporada e o conflito humano parece tão forçado, com personagens que não te cativam em nada. Pra mim, os únicos que eu faço questão são a Alicia e a Madson. Minha opinião apenas, sei que muitos nem fazem questão de pensar tanto, mas eu não “comprei” muito o enredo da série não, esperava mais, principalmente em relação aos personagens.

    • Karine

      A série n é sobre zumbis, é sobre os sobreviventes.

      • Leandro Antonio Silva

        Acho que você não leu o resto do comentário. Quando eu disse q a série é “sobre” zumbis, quis dizer que é um apocalipse zumbi, não é uma característica dispensável sobre a série. Se vc ver no resto do comentário (“gostei muito do potencial de conflito humano nela, pra mostrar que não era apenas um apocalipse zumbi, mas também um apocalipse humano”) verá que eu enfatizei o fator humano na série.

        • Karine

          Pois é, tanto não é dispensável q eles continuam lá, só não representam uma ameaça tão grande no momento… E convenhamos q faz bastante sentido, afinal, já passou tempo suficiente para as pessoas aprenderem a lidar com os zumbis. Sobre a qualidade do conflito humano, acredito q seja questão de opinião mesmo.

  • Flaviane Rocha

    Realmente a série tem menos zumbis, mas se todos perceberem o apocalipse aconteceu a mais ou menos 4 semanas, ou seja, o mundo ainda não está tão infestado de zumbis. Está série caminha mais lentamente.

  • João Pedro

    O apocalipse aconteceu não têm 1 mês direito, é obvio que não são todos que já viraram zumbis. O objetivo dessa série é não é só responder as brechas que foram deixadas em The Walking Dead, se fosse só isso era mais fácil fazer um episódio em The Walking Dead onde os protagonistas tivessem flashbacks da época onde tudo começou. E sobre o Travis… Ele está sendo um pouco chato mesmo, caramba! É um apocalipse, não um dia de ação de graças para ficar com esse discurso de bondade a todo momento. Na hora de sabermos quem será o “Rick” dessa série entre Madison e Travis, já sabemos quem será se Travis não mudar.

  • larissa castro alves

    aquele que chegou no final era um daqueles que foi com o chris?

    • Wikisy

      Sim, os dois apareceram, mas não vi o Chris.

  • José Edimar de Sousa

    Que série horrível, muita linguagem marxista, personagens irritantes, sem zumbis, sem ação e lenta demais. Não é toa que a audiência desabou 70%, e assim vai continuar até ser cancelada, provavelmente da quarta temporada não passa.

    • Humberto Sousa

      Pelo menos a série está tendo a sua audiência… Isso é o que importa…

    • Comentando as notícias

      Linguagem marxista? affff… comentário mais tosco que já li sobre a série até hoje.

    • Claudia Barbara

      Falou tudo.

    • Karine

      “linguagem marxista” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Davidson

    Fear The Walking Dead está com uma ótima história em mãos pois esse hotel é ótimo pra ter convivencia, conflitos e tals, mas estão enrolando muito em histórias familiares antigas, porra, aconteceu um apocalipse, bora deixar o passado de lado e aprender a sobreviver!!

  • Dany

    Todo mundo Odeia o Chris by Fear the Walking Dead…..

  • GFS

    Bons argumentos, Vinícius, parabéns.
    Não tenho comentado quase sobre Fear TWD, mas acompanho a série e ainda que goste bem mais de TWD pois tem uma ótima base que são os quadrinhos, Fear TWD tem uma liberdade maior em si por não depender das HQs; uma desvantagem e ao mesmo tempo uma vantagem.
    Algumas coisas dessa 2a temporada estão me lembrando a 2a temporada de TWD: embora em Fear TWD os personagens principais estejam em grupos diversos, algo que não ocorreu em geral na 2a temporada de TWD, temos 1 personagem mais humanista, pacifista em Fear (Travis, lembrando 1 pouco o Dale), temos personagens que procuram seus entes queridos que estão desaparecidos, com Ofélia procurando o ex-noivo (e o pai), e Madison procurando Nick (em TWD era a CAROL e outros procurando a Sofia), temos Madison assumindo 1 papel de liderança lenta e gradualmente como foi com Rick (e Nick em seu grupo também, ao mesmo tempo que o líder anterior perde apoio e liderança, de modo 1 pouco mais semelhante ao que houve com Rick assumindo a liderança no lugar de Shane, ainda que com muitas e óbvias diferenças entre ambas as séries e os seus personagens). Falando em Shane, que foi perdendo o controle emocional e partindo para o vale tudo pra se adaptar e sobreviver, Cris tem agido desse modo também, tivemos ainda grupos rivais aos dos principais personagens sobreviventes, mesmo que sejam vários grupos rivais e que apareçam muito mais que o grupo de rivais dos personagens principais de TWD na 2a temporada. Nick, ao mesmo tempo que assume 1 papel cada vez mais de líder, foi acolhido por alguém que comanda 1 local e tem conhecimentos na área de saúde (comparo neste caso Hershel e Alejandro), e se envolveu também com Luciana, uma personagem de grande potencial e destaque, tal como Maggie, e Nick tem se mostrado 1 personagem bastante útil e corajoso, com habilidades únicas, assim como Glenn. Ainda não há em Fear o equivalente de Daryl, mas guardadas as proporções e diferenças é possível perceber algumas semelhanças entre os personagens de ambas as séries, ainda que sejam meras coincidências.
    Cris é o personagem mais odiado da série, e te parabenizo Vinícius por mostrar os aspectos interessantes que ele traz para Fear TWD. Alguém “precisa” ser mais vilão e detestável entre os personagens principais, pois terá muito menos graça uma série sem os “Cris” ou os “GREGORYS”, ou os Travis da vida. As pessoas não gostam das personalidades de tais personagens, mas eles também contribuem bastante, pois assim como as personalidades humanas são as mais variadas possíveis, e uma série ao ter tamanha variação de personagens se torna melhor pois muito mais ampla, diversificada. Num mundo apocalíptico as personalidades ficam ainda mais livres e soltas, pois as regras são bem menores e rarefeitas, assim temos mais evidentes as manifestações dos personagens “brutos”, “covardes” e/ou “medrosos”, “manipuladores”, “manipuláveis” “egoístas”, “volúveis” e outros com personalidades que muitas pessoas consideram mais abjetas, detestáveis.
    Havendo ainda mais personagens assim, faço no entanto uma crítica à filmes, séries faço no entanto uma crítica a algo que chamamos de politicamente correto, ainda que muitas vezes eu compreenda e apoie o politicamente correto: as personalidades mais abjetas do tipo “os covardes”, “medrosos”, “egoístas”, “agressivos” costumam ser apenas masculinas, o que em nosso mundo real não procede completamente. Ainda que os brutos, agressivos quase sempre sejam homens, há sim mulheres com tais personalidades desprezíveis, ainda que mais raramente, e quanto as mulheres “covardes, medrosas, egoístas” há várias no mundo, e num mundo apocalíptico desses tais personalidades seriam ainda mais comuns entre a s mulheres, não só entre os homens, mas o medo disso soar como machismo, preconceito e desrespeito faz com que nas series, filmes e outros só tenhamos homens “agressivos, covardes e medrosos”; coisa que na realidade é muito mais variada.
    Uma crítica que faço a Fear TWD é que nesta 2a temporada especialmente estamos no 13 episódio e ninguém entre os personagens principais morreu, no máximo estão sumidos (como o Salazar). Se em TWD isso tem sido 1 ponto a se criticar (ao menos na 7a temporada já teremos no 1o episódio principal, e ocorrendo a Guerra Total na 2a metade da 7a temporada, o que acredito ocorrerá, teremos mais alguma/s morte/s de personagem/ns principais), ainda mais penso mister criticar em Fear, pois a série não tem uma vinculação a quadrinhos , livros, etc.. Fear é autônoma nesse aspecto.
    Costumo perceber que quando gente demais vai apenas num único modo de pensar é preciso se contrapor para perceber se não há algo despercebido e equivocado em determinadas “unanimidades”: é o caso do ódio mútuo ao personagem Cris em Fear (e também ao Travis e ao Morgan em TWD, 2 personagens mais pacifistas e que trazem qualidades interessantes num mundo em que impera a lei do mais forte, 1 mundo em que as pessoas acham que “tem que fazer o que deve ser feito”, seja lá o que for esse “o que deve ser feito”). Assim como na realidade, nas séries temos os(as) personagens que fazem os papéis mais chatos, desagradáveis e ainda que não gostemos deles(as) inicialmente, depois passamos a entendê-los melhor e até a gostar desses(as) personagens. Em TWD muitos, e inclusive eu, não gostaram de Merle, depois passamos a gostar dele, Shane se transformou num vilão e até muita gente sente falta do personagem, fica a imaginar como ele seria e estaria se ainda vivesse na série, Gareth se transformou num canibal e foi bastante elogiado, muitos não gostaram da DAWN, da BETH, MAS ambas deram boa contribuição á série, algumas vezes só percebemos isso a longo prazo, e se por 1 lado Cris é 1 personagem detestado, há de se reconhecer o talento do ator por ser convincente ao interpretar 1 personagem detestável, assim como foi com o Joffrey (que muita gente com razão comemorou sua morte na série, depois sentiram saudade dele) em GOT ou o Ramsay, ou ainda o Tomen em GOT.
    Espero ter feito uma boa contribuição para o debate E CONSIDERAÇÕES sobre a série.
    Ps.: assim como temos os personagens detestáveis, podemos ter os(as) comentaristas detestáveis. O tal José Edimar de Sousa proporcionou O Comentário coximbecil da matéria, e diferente do Lorenzo J. Henrie e do Cliff Curtis, ele não ganhou coisa alguma ao digitar aquelas besteiras sem fundamento.

  • Rogger James

    qual dia que passa na fox ??