Entrevistas

Dave Erickson fala sobre a briga de Madison e Nick e as verdadeiras intenções dos militares

Publicado há

em


ATENÇÃO: Esta matéria contém spoilers do quarto episódio da primeira temporada de Fear the Walking Dead, S01E04 – “Not Fade Away” (Não Desapareça). Leia por sua conta e risco. Você foi avisado.

A relação de Travis e Madison está sendo testada em seus diferentes pontos de vista, níveis de confiança e pela presença da Guarda Nacional na vizinhança. Mas depois dos militares chegarem a sua casa e levarem Griselda sem seu marido Daniel, e também arrastarem o viciado Nick, será que Travis agora verá que ele, Maddie e seus hóspedes precisam se juntar para recuperar seus familiares? Ou o fato que a ex-esposa de Travis, Liza, teve uma influencia no rapto de Nick colocará o professor e sua namorada ainda mais em direções opostas?

O showrunner de Fear the Walking Dead, Dave Erickson, falou sobre o episódio, incluindo a briga explosiva de Madison com Nick, como Travis finalmente foi forçado a reconhecer as verdadeiras intenções do governo, como Nick ainda não atingiu o fundo do poço, como Travis, Madison e Daniel terão planos diferentes para se reunirem com seus amados, e quem definitivamente não estava dentro da casa na colina que foi baleada no fim do episódio.

Vamos começar com Maddie, Nick e a briga entre eles. Ela percebeu o que ele fazia com o Senhor Ramirez, ou ela só reconheceu que ele estava aprontando algo?

Dave Erickson: Eu não acho que é algo exato. Assim, ela vê um padrão em Nick nos últimos anos, e ela já o ouviu fazendo promessas antes, ela já o viu drogado, já o viu limpo, e acho que aquela cena inicial da piscina, quando ele está disposto a largar mão do Oxycontin, no fundo ela quer acreditar nele. Mas acho que também há um pingo de suspense, e há sempre dúvida porque ela já passou por isso antes. A única coisa que a tranquiliza é que é o apocalipse, ele não pode passar por aquela cerca… ele não pode se dar bem, então a ironia é que o apocalipse a trouxe algum conforto. Não é tarde quando Daniel viu a médica entrar e falar com Nick… Daniel sabe que a médica quer levar Griselda, e ele não é uma pessoa que confia em autoridades, representantes do governo, e acho que o fato da Dra. Exner sentir necessidade de falar com Nick meio que coloca isso em seu radar, e ele coloca no da Madison. Acho que quando ela foi à casa de Ramirez para procurar Nick, no fundo ela esperava encontrar algo menos conveniente, e ela encontra.

Ela grita a ele “Você não tem ideia! Você não tem ideia!” O que ela quis dizer com isso?

Dave Erickson: Muitas coisas… “Você não tem ideia”, significando que ela sabe o que acontece fora das cercas. Ela sabe quão ruim e como as coisas apocalípticas realmente são, e ele está completamente viajando e não parece se importar com nada. Também são as coisas que ela teve que fazer no segundo episódio só para pegar os remédios para ele. Ela matou Art, ela agora sabe que ele estava infectado, e sabe que ele não voltaria, mas ela teve que cometer esse ato de violência contra um amigo e companheiro de trabalho. E ela não fala muito sobre isso, provavelmente não falará por algum tempo porque ela tende a internalizar coisas, mas ela se refere a isso. Ela fala sobre o que acontece ao redor, e também, no fundo, há coisas que ela fez no passado. Ela tem uma história de violência pertencendo a sua própria família, falamos um pouco sobre isso no piloto, e é algo que retornaremos. Então há vários níveis àquele momento. A parte mais triste é que foi a última vez que ela o viu antes de ser levado pelos militares.

Ela deve estar frustrada também porque mesmo depois do que ele experimentou no episódio piloto com a igreja e Calvin, ele ainda não leva a sério romper o vício.

Dave Erickson: Exatamente. Todos os problemas, os conflitos e a tensão que existe nessa família antes do apocalipse, esses são os problemas que temos que lidar, e o vício não é algo que irá embora tão cedo. Foi sempre algo que precisamos continuar explorando, isso faz parte do que Nick é, e o que ele tem sido por um bom tempo. Acho que precisa de algo bem chocante para tirá-lo disso, e mesmo quando formos para a segunda temporada, ele sempre achará algo para alimentar seu vício. É só uma questão de qual droga será.

Houve uma preocupação da parte dele com o Sr. Ramirez, o homem cuja morfina foi roubada. Ele ficou bem surpreso quando a Dra. Exner mencionou a condição de Ramirez para ele.

Dave Erickson: Sim, acho que ele está preocupado com Ramirez, mas acho que está preocupado porque se o Sr. Ramirez foi levado, significa que as drogas foram levadas também. Há uma dicotomia interessante com esse personagem, porque creio que ele ama sua família, se importa com as pessoas, mas seu amor e cuidado pelas drogas são maiores. Isso transparece, acho que o jeito que Frank Dillane interpreta é tão bonito, como se fosse um problema legítimo. Mas ao examiná-lo, Exner percebeu que seu nível de tranquilidade não condizia com o que estava acontecendo. Acho que ela pôde perceber que ele veio usando. Mesmo aquele pequeno momento no final da cena onde seu ritmo cardíaco estava elevado e ele brincou com seu charme: “Você é uma mulher atraente.” Na verdade foi só a reação que ele teve ao saber que sua fonte de drogas talvez tenha ido embora.

Agora Maddie tem essa informação sobre a área fora da zona de segurança depois de quebrar a cerca. Qual era sua principal intenção ao fazer isso? Foi só para ter mais informações sobre o que as autoridades não falaram?

Dave Erickson: Ela viu aquele brilho, a luz no vídeo que Chris gravou, e acreditou que Chris talvez estivesse certo. Depois ela teve a confirmação quando foi ao telhado e viu. Travis é muito confiante e acredita que os militares, a cavalaria, realmente chegaram… ele tem uma fé nas instituições que Madison não tem. Sua resposta quando Chris disse que viu a luz foi que podia ser qualquer coisa, um brilho, o sol refletiu em algo, um sino de vento. “Quem sabe o que é isso, mas não vou incomodar os soldados que estão trabalhando duro para nos proteger e vencer essa guerra contra os mortos.” Madison é predisposta a não confiar no que acontece atrás das grades. Ela está predisposta a querer chegar ao fundo do que realmente está acontecendo e quer respostas. Ela se depara com um massacre, e o que percebemos é que houve alguns vizinhos que não queriam ser forçados a sair, e isso mostra que se você tem um grupo de soldados, guardas, mulheres – e isso é mencionado depois na série – que não são guerreiros, são pessoas que estão acostumados aos fins de semanas de um mês, e de repente eles estão literalmente presos no apocalipse onde estão lutando contra pessoas que se transformaram recentemente, eles ainda parecem humanos. Estão tentando defender pessoas que, em algumas circunstâncias, não querem ser defendidas. Acho que os militares tem um melhor entendimento do vírus, o que quer que seja que está se espalhando, então sempre que encontram alguém fora da cerca, assumem que a pessoa está infectada. Se você não está dentro da zona de segurança e está vivendo na zona morta, há uma razão para isso. É uma aceleração de medo, agressão e paranoia. Uma pessoa diz “Não vamos sair”, e aí as coisas saem de controle. Acho que tiros foram disparados e a próxima coisa que sabemos é que aquela rua foi dizimada. E é basicamente isso que acontece no final do episódio, quando Travis vê a luz e depois vê inúmeros flashes na casa da colina. Acho que eles foram limpar a casa, assumindo que pessoas talvez estivessem infectadas lá, e aí uma coisa levou a outra.

Você mencionou Chris. Amo que agora temos uma clareza de sua personalidade depois desse episódio. Sua fala sobre Travis – que Travis montaria um desfile para os militares se deixassem – é uma das minhas preferidas da série até agora. Ótima fala, mas nela, ele também se refere ao seu pai como “Travis” e não “pai”. Isso é uma grande indicação do que ele sente sobre essa situação, não é?

Dave Erickson: É sim, há certo desdém que os adolescentes às vezes têm pelas suas figuras adultas, pelos seus parentes, e há um pouco de rebeldia e independência ao se referir ao seu pai pelo nome. Chris é interessante. A maçã não caiu tão longe da árvore, há uma qualidade idealística nele. Ele quer melhorar as coisas, e veremos a evidencia disso ao longo da temporada. Mas ele também pega pesado com seu pai. O divórcio pode ser mútuo, mas seu pai foi quem partiu. Chris vive com sua mãe e ela ainda está lá, seu pai foi quem foi embora e começou uma nova família, então ele aborda tudo com um pouco de ressentimento pelo seu pai. É um comentário arrogante, mas acho que fala muito sobre como a relação entre eles se encontra ali.

Também conhecemos Moyers nesse episódio. Ele teve alguns momentos engraçados, mas também parece que está destinado a ser o cara que odiaremos.

Dave Erickson: Isso é bom. Não, Moyers é um guerreiro. Moyers já foi à batalha, ele olha para isso como uma campanha militar, e muitas pessoas que ele comanda agora – ele vai se referir a isso mais tarde – eles não são guerreiros. Acho que ele está ciente disso, e consequentemente, ele é bem mais duro com as pessoas que estão sob seu comando. Ele tem um humor, mas acho que tendo essa experiência de combate o faz querer que o trabalho seja feito. Ele só quer defender seu trabalho. Não é muito “eu estou salvando pessoas” e sim “eu tenho uma missão a cumprir e irei cumprir, não entre no meu caminho nesse processo.”

Daniel diz a Madison “Se isso acontecer, vai acontecer rápido”. O “isso” se refere ao que acontece no final, quando sua esposa é levada embora sem ele e Nick tirado à força?

Dave Erickson: Sim. Griselda e Daniel viveram durante a Guerra de El Salvador e sabem que quando os caminhões chegam e as pessoas são contidas, geralmente não é uma boa coisa. Pode estar sob auspícios de “estamos tentando te proteger” ou “estamos recolhendo Comunistas porque queremos atirar na cabeça deles”. Ele vê o lado negro disso, e sua negligência e entendimento dizem que não há luz. Ele sabe que existem soldados lá fora com medo, sabe que o mundo se transformou, e ele está preparado para isso de muitas maneiras.

Ele estava tão determinado a ir com sua esposa que estava disposto a deixar sua filha para trás. Agora que sua esposa foi embora sem ele, como Daniel lidará com isso?

Dave Erickson: Você descobrirá no episódio cinco. Madison, Travis e Daniel terão reações bem específicas para a realização do que a Guarda Nacional está fazendo. A coisa mais importante a se entender, e veremos mais no próximo episódio, é que muitos dos soldados são tão medrosos quanto eles, e acho que isso às vezes se encaminha para decisões difíceis e às vezes para violência. Mas o elemento conectivo entre Griselda, Nick, o personagem de Doug Thompson e o Sr. Ramirez, a razão deles serem levados foi porque todos têm chances de morrer. Doug Thompson é depressivo, ele irá se ferir? Irá cometer suicídio? Nick é um viciado e ainda está usando drogas. Ele vai ter uma overdose? Há razão para isso, e a ideia é levar pessoas que são uma potencial ameaça – pessoas que talvez se transformem e ataquem alguém – e os colocar em um lugar onde não podem fazer isso. Veremos mais sobre isso no próximo episódio.

O que fez Liza entrar naquele caminhão em vez de ficar com seu próprio filho, Chris? Ela se sentiu culpada por chamar atenção da Dra. Exner para Nick, e Nick foi levado embora e talvez esse seja seu jeito de tentar manter os olhos nele? Ou a Exner a convenceu que sua ajuda era necessária?

Dave Erickson: É uma combinação dos dois, e pra mim, o interessante do personagem de Liza – e ela se refere a isso no terceiro episódio – ela quer ser médica, quer estudar medicina. Ela acabou pegando um desvio e não foi capaz de realizar isso. Agora ela está estudando para ser enfermeira, e a ironia é que no apocalipse, ela encontrou um jeito de se tornar parcialmente a pessoa que sempre quis ser. Quando Exner chegou, essa civil que trabalha com os militares, ou com o Departamento de Saúde, vê uma esperança em Liza. Há uma conexão meio estranha de mentora/estudante entre as duas, e quando Exner não explode com Liza por mentir ser enfermeira, e de fato acolhe ela e quer que ela continue a ajudar, acho que há validação nisso. Então sim, acho que ela pensa que Exner realmente quer ajudar as pessoas. E depois ela se sente responsável, porque vem cuidando de Griselda na última semana e meia, e ela ainda não foi capaz de cura-la, e também sabe que essencialmente colocou o nome de Nick na lista e creio que se sente responsável por isso.

Depois que os militares levaram Griselda e Nick, e depois de ver aquelas armas sendo disparadas na casa da colina, Travis finalmente começará a ficar menos cegamente confiante em Moyers e na zona de segurança?

Dave Erickson: Com certeza. Quando ele vai ao telhado, é meio que uma fratura exposta, porque de um lado, os militares vieram de um jeito meio agressivo e levaram essas pessoas da casa dele. Veremos depois que eles levaram mais pessoas naquela noite. Então ele vai para o telhado, meio que só para se distanciar do grupo porque acho que ele está desiludido com o que aconteceu, e aí ele vê os flashes e percebe “Chris estava certo, Madison estava certa. Há alguém lá fora e agora não há mais.” Eles estavam transformados? Eles eram pessoas que não queriam sair de casa? Eram pessoas que os militares temiam ter se transformado? Mas o principal é que ele agora percebeu que os soldados da Guarda Nacional não são tão nobres quanto ele pensava.

Ele também está sentindo um grau de responsabilidade porque ele foi até Moyers naquela cena de golfe e mencionou o fato que seu filho viu uma luz… mas quando ele vê os flashes mais tarde, ele assume que Moyers ouviu o que ele disse e esse foi o resultado. Então acho que há um fardo bem grande, será interessante ver como ele se relaciona com Moyers no próximo episódio. Agora que Griselda foi levada, agora que Nick foi levado, que Liza foi embora, ver como ele, Madison, Daniel e Ofelia lidam com isso e como eles tentarão assegurar o retorno de sua família. Eles lidarão com isso de jeitos bem diferentes e específicos.

Ok, mais uma coisa… Tobias. Você pode confirmar se ele não era a pessoa que estava na casa da colina?

Dave Erickson: Amaria dizer que pensei sobre isso, mas a verdade é que não era Tobias naquela casa. Então Tobias não está morto pelo que nós sabemos.

Fiquem ligados aqui no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.


Fonte: Yahoo
Tradução: @LaisYes / Staff Fear the Walking Dead Brasil

Comentários

EM ALTA

2015-2020 | Fear the Walking Dead Brasil - Sua maior e melhor fonte brasileira sobre Fear the Walking Dead.

Sair da versão mobile