Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Fear the Walking Dead S04E07: 5 coisas que você pode ter perdido em “The Wrong Side of Where You Are Now”

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do sétimo episódio, S04E07 – “The Wrong Side of Where You Are Now”, da quarta temporada de Fear the Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Depois de abrir a quarta temporada introduzindo personagens sólidos e evoluir com episódios interessantes, parece que Fear the Walking Dead está se aproximando da fórmula e dos erros da série mãe. A série vem perdendo a força à medida que se aproxima do midseason finale, e nos deixa num misto de preocupação e desânimo.

O episódio desta semana dedicou algum tempo a uma confusa e frustrante sequência de troca de tiros que pareceu não levar a lugar nenhum. Althea afirmou não ser parte da história como justificativa para não se envolver no combate, e o que parecia ser uma personagem misteriosa sendo construída, quem sabe uma jornalista de guerra, está se tornando uma ferramenta para fazer perguntas nos momentos oportunos, que apenas filma e não é desenvolvida.

As linhas do tempo seguem confundindo a audiência, e à medida que é revelado quem morreu e quem ainda está vivo, se torna difícil se preocupar com personagens em momentos de perigo, como Alicia e Nick presos no carro cercado por zumbis. Sabemos que eles vão escapar de alguma maneira, resta apenas a curiosidade sobre a batalha final no estádio e – principalmente – sobre o paradeiro de Madison.

Enquanto aguardamos o midseason finale para ter algumas respostas, que tal dar uma olhada nas 5 coisas que você pode ter deixado passar no episódio desta semana, “The Wrong Side of Where You Are Now”? Confira:

1. Os mortos finalmente chegaram à abertura

A abertura segue mostrando pedaços de uma história que ainda não se revelou por completo. Já vimos silhuetas e detalhes que faziam referência a praticamente todos os personagens da série e, nesta semana, finalmente os mortos apareceram.

A cena de abertura trazia alguns zumbis caminhando ao fundo, representando o ataque de Ennis ao estádio no passado, e o local já completamente tomado por eles no presente.

O que vimos até aqui:

Episódio 1 – uma pessoa ao lado de uma fogueira à noite, provavelmente John Dorie.
Episódio 2 – uma caravana passando no fundo, possivelmente os Abutres a caminho do Diamond.
Episódio 3 – as flores azuis que Madison e Nick encontraram durante sua busca por suprimentos.
Episódio 4 – há um efeito de interferência na imagem, como se tivesse sido filmada com a câmera de Althea.
Episódio 5 – duas pessoas caminhando juntas ao fundo, provavelmente John e Laura.
Episódio 6 – um carro solitário, provavelmente representando a saída de Madison, Victor e Naomi.
Episódio 7 – zumbis vagando, em referência ao ataque dos Abutres ao Diamond.

2. O martelo ganhou um novo significado para Madison

No começo da temporada, Madison estava construindo um quarto para que Charlie pudesse morar no estádio. E neste episódio ela aparece desmontando o espaço para utilizar a madeira como reforço nas entradas do Diamond.

Nos dois momentos ela está trabalhando com um martelo, e Kim Dickens comentou durante o Talking Dead sobre o significado disso para a personagem:

“Parte da jornada de Madison, nesta temporada, é que a vemos com o martelo, e a última vez que a vimos com um martelo foi para acertar a cabeça do Troy. Pessoalmente, lamento que isso tenha acontecido, mas o martelo foi tão significativo, que fiquei feliz em vê-lo de novo. Vemos Madison com o martelo fazendo um quarto para abrigar uma criança. E construir algo com as próprias mãos é algo nobre e amoroso para Madison fazer. Madison sabe que precisa desmontar o quarto que ela construiu. É desolador, por um lado, mas ainda é um progresso. Ela sabe que vai usar aquela madeira, que aquilo vai ajudá-los, e que depois remontarão tudo.”

3. A roupa de Naomi pode ser uma pista sobre sua lealdade

Na semana passada falamos sobre Naomi ter deixado para trás as botas de John e aparecido com um par de tênis – e que isso poderia ser um sinal de que ela realmente havia traído o grupo de Madison para se juntar aos Abutres.

No entanto, a figurinista Jo Katsaras comentou sobre a roupa de Naomi, mais especificamente sobre a camisa que ela estava usando. Jo queria garantir que o visual de Abutre de Naomi incluísse uma peça do passado dela.

“Para nós foi importante refletir visualmente algo para mostrar que ela não era uma traidora.”

4. Morgan sempre salva as pessoas erradas – ou não?

No meio de toda a confusão e da troca de tiros, Morgan tomou uma decisão controversa: salvar Charlie. A própria menina ficou confusa ao perceber que ele era amigo de Nick e questionou sua atitude, ao que ele respondeu “isso precisa parar em algum ponto”.

Não é a primeira vez que Morgan faz algo assim. Na primeira metade da sexta temporada de The Walking Dead, Morgan opta por manter um dos Lobos que invadiram Alexandria secretamente preso em uma cela, tentando convence-lo a abrir mão de seu modo de vida violento. Algum tempo depois o Lobo escapa e faz Denise de refém, mas termina se sacrificando para ajudar a médica a escapar de zumbis e, por fim, chegar até a casa onde estava Carl, recém ferido.

Será que a decisão de Morgan sobre Charlie também terá maiores desdobramentos?

5. A morte de Nick ganhou significado*

Até agora não tínhamos qualquer entendimento dos motivos que levaram Nick ao surto que culminou em sua morte no terceiro episódio da atual temporada. Contudo, em uma conversa com a mãe no fragmento dessa semana, Nick diz que tem vivido até agora porque Madison serve como exemplo para ele de como agir, e que se ele a perdesse, não saberia sobreviver.

A morte de Madison – indiferentemente se a personagem de fato morreu, já que para os filhos a mãe está desaparecida e é possível de ter havido presunção por parte deles do óbito da matriarca Clark – pode ter feito o jovem perder todos os limítrofes que o sustentaram até agora, levando-o a uma incapacidade de ponderar seus atos.

(* Carlos estava chateadíssimo por não ter tido a chance de comentar este detalhe no Walking Cast desta semana, então a 5ª coisa foi um oferecimento dele. Aproveitem para ouvir os outros comentários dele no podcast e dar uma lida no review!)

Você percebeu algo além dessas cinco coisas supracitada? Deixe abaixo nos comentários para que a gente também possa saber.

Fear the Walking Dead vai ao ar LEGENDADO aos domingos, às 22h30, e DUBLADO as segundas, às 23h30, no AMC Brasil. Consulte sua operadora de TV para mais informações.

Fiquem ligados no FEAR the Walking Dead Br e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e FEAR the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de Fear the Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Curiosidades

Fear the Walking Dead S04E16: 5 coisas que você pode ter perdido em “…I Lose Myself”

Publicado há

em

Por:

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo sexto episódio, S04E16 – “I Lose Myself: “, da quarta temporada de Fear the Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Chegamos ao final da quarta temporada de Fear the Walking Dead com um último episódio que deixou a desejar. “…I Lose Myself” (…Eu Me Perco) encerrou o arco da vilã Martha em seu último esforço para tornar Morgan forte – enquanto sem querer quase fortaleceu todo o restante do grupo com suas águas envenenadas com anticongelante.

O episódio deu algumas escorregadas, como o momento em que Althea metralhou o tanque cheio de etanol que poderia salvá-los da intoxicação e o grupo preferiu assistir ao vazamento ao invés de correr para consumir o líquido que se esvaía. E o próprio título não representou bem a história, uma vez que Morgan não chegou a perder a cabeça como nos velhos tempos em nenhum momento.

Em meio a esse embate entre fortes e fracos, alguns detalhes talvez tenham passado despercebidos. Então que tal dar uma olhada nas 5 coisas que você pode ter perdido em “…I Lose Myself”? Confira:

1. Chegamos à conclusão das aberturas

No começo da quarta temporada, os showrunners de Fear disseram que as aberturas contariam uma história, que seria revelada quando todas estivessem reunidas. Aos poucos percebemos que elas sempre se conectavam com o foco do episódio da semana, dando mais destaque a certos personagens ou locais da trama.

As aberturas foram contando a própria história da temporada, acompanhando nosso grupo em seus desafios e perdas. Até que a desta semana fez uma síntese não apenas do episódio, mas de toda a temporada: vemos nela as árvores onde os personagens sentaram para conversar, o rio próximo à rede elétrica onde Martha foi enterrada, a fábrica de jeans ao fundo – que deve nos conectar com o que vem pela frente – e, principalmente, as flores de lavanda.

As flores não apenas lembram a morte de Madison na primeira metade da temporada, como também fazem referência ao seu legado, que foi reforçado por Alicia no final do episódio: “Isso não pode ser apenas sobre as caixas. Nós temos que fazer o que minha mãe fez, transformar isto em algo maior. É assim que você ajuda pessoas.”

Episódio 1 – uma pessoa ao lado de uma fogueira à noite, provavelmente John Dorie.
Episódio 2 – uma caravana passando no fundo, possivelmente os Abutres a caminho do Diamond.
Episódio 3 – as flores azuis que Madison e Nick encontraram durante sua busca por suprimentos.
Episódio 4 – há um efeito de interferência na imagem, como se tivesse sido filmada com a câmera de Althea.
Episódio 5 – duas pessoas caminhando juntas ao fundo, provavelmente John e Laura.
Episódio 6 – um carro solitário, provavelmente representando a saída de Madison, Victor e Naomi.
Episódio 7 – zumbis vagando, em referência ao ataque dos Abutres ao Diamond.
Episódio 8 – pessoas ao lado de uma fogueira à noite, representando o grupo contando/ouvindo o que aconteceu com Madison e o Diamond.
Episódio 9 – nuvens carregadas no céu, indicando uma tempestade se formando.
Episódio 10 – chuva forte e vento, que entorta os postes e arranca algumas das letras dos créditos da tela.
Episódio 11 – o caminhão dirigido pelos irmãos Wendell e Sarah passando ao fundo e destroços da tempestade.
Episódio 12 – uma pessoa ao fundo abandonando a pé a van de Althea.
Episódio 13 – duas pessoas ilhadas, John e Victor, e um crocodilo passando na água.
Episódio 14 – fumaça ao fundo, saindo do caminhão que acabara de explodir após ser metralhado.
Episódio 15 – carro com o alarme acionado, representando a forma que Morgan encontrou para distrair os zumbis que cercavam o hospital.

2. A fraqueza de Morgan

Depois de nocautear Althea, Martha deixou uma mensagem gravada para Morgan em que lamentava que ele insistisse em ajudar aquele grupo, comportamento que o tornava fraco. Nessa hora a própria Martha assume parte da culpa, dizendo “talvez eu não tenha sido forte o suficiente” para torna-lo forte.

Talvez o vídeo tenha tido tanto impacto em Morgan porque ele mesmo já disse essas mesmas palavras em outro momento de sua vida. Na terceira temporada de The Walking Dead, no episódio “Clear”, Rick encontrou Morgan completamente fora de si. Naquela ocasião, entre alucinações e momentos de sanidade, Morgan diz que seu filho Duane morreu por causa de sua própria fraqueza e egoísmo, que o impediram de matar a esposa zumbificada.

3. Às vezes a resposta está embaixo do nosso nariz

Durante boa parte do episódio os personagens focaram no combustível como solução para sua intoxicação pelo anticongelante. Foi só quando Morgan surgiu no final com as cervejas de Jim que fomos lembrados de que “etanol é só um nome bonito para álcool”.

No entanto, a solução já havia sido apresentada muito antes. Desde o instante em que o grupo chegou à parada de caminhões no Mississipi, a câmera focou diversas vezes em cartazes e luminosos de cervejas.

4. Não há ferimento que segure a teimosia de Morgan

Após o acidente de carro provocado por Martha, Morgan percebe que está com a perna ferida, o que – em tese – o impede de continuar o caminho até seus amigos para ajuda-los. Sua determinação, no entanto, é maior, e ele segue o caminho até a parada de caminhões, apesar do ferimento, com direito a uma pausa para buscar as cervejas de Jim.

Quando começamos a temporada ele estava em uma situação semelhante, ainda que inversa. Um ferimento também na perna prejudicava sua mobilidade, e mesmo assim a determinação o mantinha em movimento, com a diferença de que naquela época ele estava tentando fugir das pessoas, ao invés de caminhar em direção a elas.

5. Lar doce lar

Mais uma vez o episódio da semana trouxe uma bela referência às primeiras temporadas da série irmã de Fear the Walking Dead. No final do episódio, quando os personagens chegam à fábrica de jeans que era o posto de abastecimento de Clayton, a imagem lembrou muito o episódio da terceira temporada em que o grupo de Rick observa de longe a prisão que viria a tornar-se seu lar por um período da série.

Você percebeu algo além das cinco coisas acima? Deixe abaixo nos comentários para que a gente também possa saber.

Fear the Walking Dead que é transmitido no canal AMC Brasil encerrou seu quarto ano nos EUA no último domingo, acompanhe nosso site e nossas redes para estar por dentro de todas as informações da quinta temporada.

Fiquem ligados no Fear the Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e Fear the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de FearTWD.

Continue lendo

Curiosidades

Fear the Walking Dead S04E15: 5 coisas que você pode ter perdido em “I Lose People…”

Publicado há

em

Por:

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo quinto episódio, S04E15 – “I Lose People…: “, da quarta temporada de Fear the Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Fear the Walking Dead está caminhando para o final da quarta temporada, e o episódio desta semana fez exatamente o que esperamos de um pré-season finale: preparou o terreno. Sem muita ação ou desenvolvimento de personagens, este é tradicionalmente um episódio que apenas prepara a audiência para o final, sem acrescentar muito à trama.

Em “I Lose People…” (Eu perco pessoas…) todos os membros do grupo foram resgatados de alguma forma – literal ou figurativamente – e terminaram o episódio reunidos, com exceção de Al, cuja localização ainda é desconhecida. A morte de Jim já havia sido anunciada, e aconteceu trazendo uma breve redenção para o personagem. E Martha talvez seja parente distante do imortal Daniel (saudades, inclusive), pois nada parece derrubar a vilã.

Enquanto nos preparamos para o episódio final, talvez alguns detalhes tenham passado despercebidos. Que tal dar uma olhada nas 5 coisas que você pode ter perdido em “I Lose People…”? Confira:

1. A estratégia de Morgan foi adiantada na abertura

Toda semana a abertura da série muda um pouco, trazendo algum detalhe que vai aparecer mais adiante no episódio. E dessa vez a abertura entregou bastante coisa, mostrando um carro com o alarme acionado.

No começo do episódio isso não significava muito para a audiência, mas depois descobrimos que essa foi a forma que Morgan encontrou para distrair os mortos enquanto o grupo escapava e, mais tarde, foi a forma como Jim morreu em seu último gesto para colaborar com a fuga dos amigos.

Episódio 1 – uma pessoa ao lado de uma fogueira à noite, provavelmente John Dorie.
Episódio 2 – uma caravana passando no fundo, possivelmente os Abutres a caminho do Diamond.
Episódio 3 – as flores azuis que Madison e Nick encontraram durante sua busca por suprimentos.
Episódio 4 – há um efeito de interferência na imagem, como se tivesse sido filmada com a câmera de Althea.
Episódio 5 – duas pessoas caminhando juntas ao fundo, provavelmente John e Laura.
Episódio 6 – um carro solitário, provavelmente representando a saída de Madison, Victor e Naomi.
Episódio 7 – zumbis vagando, em referência ao ataque dos Abutres ao Diamond.
Episódio 8 – pessoas ao lado de uma fogueira à noite, representando o grupo contando/ouvindo o que aconteceu com Madison e o Diamond.
Episódio 9 – nuvens carregadas no céu, indicando uma tempestade se formando.
Episódio 10 – chuva forte e vento, que entorta os postes e arranca algumas das letras dos créditos da tela.
Episódio 11 – o caminhão dirigido pelos irmãos Wendell e Sarah passando ao fundo e destroços da tempestade.
Episódio 12 – uma pessoa ao fundo abandonando a pé a van de Althea.
Episódio 13 – duas pessoas ilhadas, John e Victor, e um crocodilo passando na água.
Episódio 14 – fumaça ao fundo, saindo do caminhão que acabara de explodir após ser metralhado.

2. Como a morte de Jim vai afetar Morgan?

Os títulos dos episódios 15 e 16 indicam que Morgan deve ganhar destaque no final da temporada. “I lose people…” e “…I lose myself” são frases que já foram ditas diversas vezes pelo personagem, explicando o quanto a perda de pessoas próximas tem o poder de desequilibrá-lo.

Foi isso, inclusive, que motivou Morgan a deixar Alexandria e migrar para o oeste do país. No entanto, ao final do episódio 15 ele convida o grupo a voltar com ele para Virginia, dando a entender que superou seus traumas e se sente seguro para viver novamente com um grupo de pessoas.

Mas a última cena pode sugerir o contrário, somada ao título do próximo episódio. Um dos últimos pedidos de Jim a Morgan foi não permitir que ele se transformasse em zumbi, perfurando o cérebro dele logo após a morte. Morgan, que já estava se sentindo culpado pela mordida que Jim levou, talvez perca novamente o controle quando Martha aparecer com a versão zumbificada do cervejeiro.

3. As homenagens a The Walking Dead continuam

Fear segue homenageando os primórdios de The Walking Dead, e desta vez o destaque foi para as crianças. Na cena em que Martha ataca Alicia e Charlie, pouco antes de desmaiar, Alicia manda a menina se esconder embaixo de um carro, bem semelhante à cena da segunda temporada de The Walking Dead em que Carl e Sophia se escondem assim enquanto uma horda passava.

Além disso, Charlie usou o chapéu de John até que ele fosse resgatado, lembrando bastante Carl quando era criança e usava o chapéu de xerife de Rick.

4. Uma última cerveja antes de partir

Enquanto estava preso no topo do prédio e contemplando a morte certa, Jim fala sobre a sensação agradável que sua cerveja trazia e que isso seria ótimo naquele momento. No final ele não teve a chance de tomar um último gole de sua cerveja, atirando-se do prédio para salvar os amigos.

O que Jim não chegou a saber foi que sua cerveja aliviou a morte de outra pessoa. Luciana não comentou com o grupo, mas durante sua missão para ajudar Clayton – também conhecido como Polar Bear – ela encontrou uma caixa com a cerveja de Jim, e até conseguiu deixa-la gelada para melhorar a última experiência dele.

5. A fraqueza de Jim

Ao encontrar o corpo de Jim, Martha segue com seu ritual de escrever no rosto do zumbi palavras que representam aquilo que o tornava fraco. No caso de Jim, a vilã mostrou extrema dedicação (ou pelo menos uma memória extraordinária), porque escreveu pedaços da receita de cerveja que ele passou para Sarah via walkie talkie. A fraqueza aqui não era o amor pela cerveja, mas sim estar disposto a se sacrificar pelos amigos – e até mesmo a abrir mão de seu bem mais precioso, a receita de sua cerveja artesanal.

Você percebeu algo além das cinco coisas acima? Deixe abaixo nos comentários para que a gente também possa saber.

Fear the Walking Dead vai ao ar as segundas-feiras, às 22h30, no AMC Brasil. Consulte sua operadora de TV para mais informações.

Fiquem ligados no Fear the Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e Fear the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de FearTWD.

Continue lendo

Curiosidades

Fear the Walking Dead 4ª Temporada: Episódio 14 foi em memória de Dwayne Haevischer

Publicado há

em

Por:

Quem é Dwayne Haevischer? Depois de assistir o último episódio de Fear the Walking Dead, muitas pessoas fizeram essa pergunta.

Haevischer foi homenageado na tela após o final do episódio da última segunda-feira, e esta foi uma linda forma de honrar alguém que contribuiu tanto para a indústria de entretenimento sem receber muita atenção. Ele era conhecido por seu trabalho no departamento de transporte e como operador de equipamentos, tendo trabalhado na série “The Leftovers” e em diversos filmes, incluindo “Death Proof”. A maior parte do seu trabalho era no mundo dos filmes.

Haevischer faleceu no começo da primavera nos EUA, mas a equipe de Fear the Walking Dead decidiu que este era o momento certo para honrá-lo no final do episódio. Esse tipo de homenagem é incrivelmente significativa, pois garante que alguém nunca será esquecido, mesmo após sua morte. É o tipo de coisa que significa muito para os amigos e família da pessoa, e também para as pessoas que trabalharam com ela.

Ainda que Haevischer não estivesse creditado no IMDb com nenhum trabalho para Fear the Walking Dead, há uma forte conexão aqui pois grande parte da quarta temporada foi filmada no estado – assim como The Leftovers também operou lá por um tempo. Ele foi um dos membros da equipe local que eram os heróis desconhecidos da produção. Às vezes ao assistir essas séries é fácil esquecer de todos que são responsáveis por torná-las um sucesso, mas cada trabalho é importante para tornar a série ou filme realidade.

Nossos sentimentos certamente estão com a família de Haevischer, e esperamos que eles tenham visto e gostado desse detalhe no episódio. Para aqueles que não o conheciam, talvez isso dê uma pequena ideia de por que a série queria dar um pouco de atenção a ele após o episódio. Homenagear membros da equipe desta forma é algo que já foi feito no passado em The Walking Dead. É uma forma de garantir que todos saibam sobre cada pessoa responsável por tornar uma série algo ainda maior.

Fear the Walking Dead vai ao ar as segundas-feiras, às 22h30, no AMC Brasil. Consulte sua operadora de TV para mais informações.

Fiquem ligados no Fear the Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @FearWalkingDead (twitter) e Fear the Walking Dead Brasil (facebook) para ficar por dentro de tudo que rola no universo de FearTWD.

Continue lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

EM ALTA